Brasil & Mundo

Associação de funcionários do Banco Mundial pede suspensão de indicação de Weintraub

No documento, os funcionários do banco se dizem preocupados com declarações de Weintraub, tidas como preconceituosas, sobre os chineses e sobre minorias

25/06/2020


Na imagem o ministro da Educação, Abraham Weintraub

A associação de funcionários do Banco Mundial enviou uma carta aberta ao Comitê de Ética da instituição pedindo suspensão da nomeação do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor executivo.

No documento, os funcionários do banco se dizem preocupados com declarações de Weintraub, tidas como preconceituosas, sobre os chineses e sobre minorias. A associação afirma que eles precisam garantir que os membros do conselho sigam códigos de conduta que exigem “altos níveis de integridade e ética” tanto do lado pessoal quanto profissional.

O grupo espera que o Comitê de Ética leve em conta os fatos citados para suspender a nomeação de Weintraub até que eles sejam analisados. A informação foi divulgada pelo portal G1.

Ao sair do governo, Weintraub foi indicado para o conselho de diretores. O grupo que o Brasil integra reúne Colômbia, Filipinas, Equador, República Dominicana, Haiti, Panamá, Suriname e Trinidad e Tobago. Essas nações terão que aprovar a indicação do ex-ministro.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.