Internacional

China dá resposta dura aos EUA após críticas ao 5G e a parcerias com o Brasil: mentira, trapaça e roubo

21/10/2020


Brasil 247 – Ainda repercute a decisão da China de responder de forma dura, através de sua representação diplomática no Brasil, a declarações feitas por autoridades do governo dos Estados Unidos durante o evento 2020 US-Brazil Connect Summit, ocorrido de forma virtual na segunda-feira passada e afirmou que os americanos consideram abertamente “mentir, trapacear, roubar” como a “glória” dos EUA.

Durante cúpula virtual sobre o aumento da cooperação EUA-Brasil, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, alertou que os EUA e o Brasil precisam diminuir sua dependência de importações da China para sua própria segurança agora que os dois países estão reforçando sua parceria comercial.

Em nota, a embaixada chinesa no Brasil, representada por Yang Wanming, declarou que Pompeo e o Conselheiro do presidente americano para Assuntos de Segurança Nacional, Robert O’Brien, espalharam com má fé mentiras políticas contra a China, tendo fabricado a chamada “ameaça chinesa” e atacando a tecnologia de 5G da China. O texto também exalta as parcerias com o Brasil, especialmente durante a pandemia do coronavírus.

“Ao ignorar os fatos básicos e produzir comentários baseados na mentalidade de guerra fria e jogo de soma zero, eles têm como objetivo real servir a certos interesses políticos, tirar proveito político dos ataques que difamam a China, atrapalham a cooperação internacional e instam a confrontação. A China se opõe fortemente a isso”, diz o comunicado da embaixada.

O presidente Jair Bolsonaro ainda não decidiu se impedirá as empresas de telecomunicações brasileiras de comprar equipamentos de 5G da chinesa Huawei Technologies Co Ltd, como quer o governo norte-americano. Na cúpula organizada pela Câmara de Comércio dos EUA, Bolsonaro anunciou três acordos com Washington para garantir boas práticas comerciais e deter a corrupção. Ele disse que o pacote reduzirá a burocracia e aprimorará o comércio e o investimento.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.