Brasil

Com derrota de Cássio, “oposição” fica de fora do Nordeste pela primeira vez

Paraíba

28/10/2014


Pela primeira vez desde a redemocratização do país, em 1985, DEM e PSDB –principais partidos de oposição do país– ficarão de fora dos governos estaduais na região Nordeste.
A derrota de Cássio Cunha Lima (PSDB) na Paraíba afastou a única chance que os partidos tinham de conquistar um Estado na região.
Pernambuco e Paraíba, governados pelo PSB, serão os únicos Estados nordestinos conduzidos por uma sigla alinhada com a oposição –independente no Congresso, o partido apoiou Aécio Neves (PSDB) no segundo turno do pleito presidencial.
Na Paraíba, contudo, o governador Ricardo Coutinho defende o apoio ao governo Dilma, enquanto em Pernambuco o grupo político no poder, ligado à família do ex-governador Eduardo Campos, manteve o viés de oposição na campanha.
Os únicos governadores oposicionistas hoje no Nordeste não fizeram sucessores: Teotônio Vilela (PSDB) não elegeu o candidato tucano em Alagoas e Rosalba Ciarlini (DEM) nem sequer disputou a reeleição.
Um dos principais aliados de Aécio na região, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) diz que eleições estaduais seguem lógica própria e minimiza a ausência de governadores oposicionistas no Nordeste.
"O mais importante é fazer um trabalho mais dedicado a partir de agora. Alguém que tenha um projeto nacional deve olhar de maneira permanente para a região, inclusive na atuação em Brasília", afirma Neto.
Segundo ele, Aécio acenou nessa direção na campanha ao apresentar propostas específicas para o Nordeste.
O vice-governador de Alagoas, José Thomas Nonô (DEM), que coordenou a campanha de Aécio no Nordeste, apresenta uma visão mais pessimista sobre o futuro da oposição na região.
"Enquanto o Nordeste continuar a ser uma região pobre, onde o governo não faz nada além de dar Bolsa Família, o cenário não mudará. Se não houver inclusão de verdade, a região continuará sendo o curral dos currais", diz.


PREDOMÍNIO PETISTA
O PT será o partido com mais governadores no Nordeste a partir de 2015: Rui Costa (Bahia), Camilo Santana (Ceará) e Wellington Dias (Piauí). Os três Estados perfazem quase metade da população da região (48%).
O partido teve resultado semelhante em 2006, quando venceu na Bahia, no Piauí e em Sergipe. Pela primeira vez, porém, governará quase metade da população e duas das três maiores economias da região.
Para o líder o PT no Senado, Humberto Costa (PE), o resultado deverá deslocar o centro de forças do partido de São Paulo para o Nordeste e "redobra" a responsabilidade de Dilma sobre a região.


TRAJETÓRIA DESCENDENTE


Confira o desempenho do PSDB e do DEM (ex-PFL) no Nordeste desde a redemocratização:


1990
BA – PFL – Antônio Carlos Magalhães
MA – PFL – Edison Lobão
PE – PFL – Joaquim Francisco
RN – PFL – José Agripino Maia
PI – PFL – Freitas Neto
SE – PFL – João Alves Filho
CE – PSDB – Ciro Gomes


1994
BA – PFL – Paulo Souto
MA – PFL – Roseana Sarney
CE – PSDB – Tasso Jereissati
SE – PSDB – Albano Franco


1998
BA – PFL – César Borges
MA – PFL – Roseana Sarney
CE – PSDB – Tasso Jereissati
SE – PSDB – Albano Franco


2002
BA – PFL – Paulo Souto
MA – PFL – José Reinaldo
SE – PFL – João Alves Filho
CE – PSDB – Lúcio Alcântara
PB – PSDB – Cássio Cunha Lima


2006
AL – PSDB – Teotônio Vilela
PB – PSDB – Cássio Cunha Lima


2010
AL – PSDB – Teotônio Vilela
RN – DEM – Rosalba Ciarlini

 

(Da Folha Online)


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.