Política

Consórcio Nordeste instala Câmara Temática da Agricultura Familiar

Revista Nordeste – O presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste e governador do Piauí, Wellington Dias, instalou, nessa segunda-feira (1º), a Câmara Temática da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste. Participaram da solenidade de lançamento, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra; a secretária da Agricultura Familiar do Piauí, Patrícia Vasconcelos, e o superintendente da SAF, Francisco das Chagas Ribeiro.

Secretários dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe irão compor a câmara, que tem como objetivo principal articular, apoiar e aperfeiçoar a implementação das políticas públicas voltadas para a agricultura familiar.

Wellington colocou como meta para os integrantes da primeira câmara temática da agricultura familiar, trabalhar na elaboração de propostas baseadas nas experiências de sucesso de cada um dos estados. “Temos que pensar nisso como Plano Nordeste. A ideia é construir uma proposta baseada nas experiências positivas para ser replicada entre os nove estados, destacando a importância de focar os eixos como, por exemplo, o Programa de Alimentação Saudável (PAS), avançar no uso de novas técnicas, tecnologias; acompanhar as pesquisas, e ainda definir áreas com arranjo completo; quem produz, agrega valor, como comercializar no mercado interno e externo, enfim, quais os estímulos que podemos trabalhar”, pontuou o governador.

A proposta do presidente do Consórcio Nordeste é que a câmara discuta e elabore a proposta o mais rápido possível, para que seja encaminhada ao colegiado dos governadores, até o mês de março.

Patrícia Vasconcelos reiterou que a câmara temática, integrada ao Consórcio do Nordeste, é um espaço que vai ajudar na organização das ações da agricultura familiar da região, e destacou que o desenvolvimento do Nordeste não se dará sem que a agricultura familiar seja o eixo principal. “A maioria dos alimentos produzidos pelos agricultores familiares é in natura e trabalhamos os eixos da inclusão social e inclusão produtiva. Levando em conta vários gargalos que precisamos superar. Se enfrentarmos esses desafios de forma coletiva, teremos um resultado positivo”, pontuou a secretária.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp