Brasil

Em meio à Terceira Onda da Covid, a realização da Copa das Américas sem priorizar vacinas chega como insulto

Em meio à Terceira Onda da Covid, a realização da Copa das Américas sem priorizar vacinas chega como insulto

O Brasil não sai das manchetes negativas, até mesmo quando se trata de uma atividade predominante no País, no caso o futebol, agora sob protestos de vários segmentos a partir da própria Seleção Brasileira com posicionamento dos jogadores contrários a realização da Copa das Américas.

O anúncio pela CBF de confirmar o torneio entre seleções da América atrai posição também contrária de governadores e personalidades do mundo da Saúde porque tudo acontece em meio à nova Terceira Onda da Covid sem que o Brasil tenha resolvido já a contratação segura de Vacinas para imunizar a população.

Pelo tom da conjuntura, o governo Bolsonaro ao invés de investir em vacinas opta pela opção de espetáculo em torno da Copa desnecessariamente neste momento em que está desaconselhado aglomerações enquanto o país chega ao montante de 500 mil mortes de brasileiros por má gestão da crise sanitária.

De fato, o Governo insiste em agir na contramão, por isso pagará o preço da opção pior à vista.

CAMPINA PREOCUPA

Os últimos boletins em torno da ocupação de leitos nas UTIs e Enfermarias passando dos 80% geram muita apreensão porque a possibilidade de filas de espera para atendimento já é algo real.

ÚLTIMA

“Esse jogo não vai ser um a um…”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp