Pernambuco

Em Recife, programa Conselheiro F desenvolve empresas familiares no Brasil

30/09/2020


A Escola F – Educação para Famílias Empresárias, criada em Recife por empresários e especialistas da governança familiar, diversificou e ampliou seus programas e agora atende às famílias empresárias onde elas estiverem, em todas as regiões do Brasil.

O Programa Conselheiro F, que era realizado apenas em turmas presenciais na sede da Escola F, no bairro de Boa Viagem, já está sendo aplicado noutras regiões do país. Agora, realizado também no local das empresas clientes, o Programa facilita e amplia o envolvimento dos membros das famílias empresárias.

Com o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, essas encontros passaram a ser virtuais e permitem a participação a partir de qualquer lugar do mundo. É o que já está acontecendo na Cajuína São Geraldo, empresa familiar de Juazeiro do Norte, cidade polo do Cariri cearense e líder na produção de refrigerantes de caju no Ceará.

Iniciado em janeiro deste ano, o Programa da Escola F já criou o Conselho de Família, do qual participam 12 familiares do fundador da Cajuína São Geraldo, José Amâncio de Souza, e de seus irmãos Tarsila e Francisco. A presidente do Conselho de Família é Tamyles Feitosa, e a vice-presidente, Munique Graziele, ambas da terceira geração.

Com o suporte do Programa, o Conselho já está em execução, tratando questões reais, do dia a dia da relação da família com a companhia, como a definição dos papéis dos membros da família, da agenda de ações, da comunicação e questões como a valorização do patrimônio familiar e o desenvolvimento dos parentes para que possam atuar na empresa de acordo com suas habilidades e competências. “Esse é o principal desafio”, diz Tamyles Feitosa, considerando a diversidade de um grupo empresarial com cerca de 80 herdeiros e o objetivo de garantir a continuidade e a longevidade do negócio.

O engajamento do grupo reforçou o alinhamento para se instaurar o processo de governança familiar. “Eles estão aprendendo sobre governança familiar e aplicando na prática. É como uma autoescola: estudam a teoria e já saem dirigindo”, resume Antônio Jorge Araújo, sócio-diretor da Escola F.

A empresa – A Cajuína São Geraldo teve origem numa fábrica de vinhos de frutas, dos anos 30, adquirida por José Amâncio de Sousa, há 60 anos. A marca é uma das mais tradicionais do Ceará e por trás dela está uma das grandes empresas da região conhecida como Crajubar – acróstico que representa as cidades do Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, um importante polo de crescimento econômico do interior do Nordeste.

A Cajuína São Geraldo não fabrica a cajuína, bebida de caju típica do Piauí. Seu produto é o refrigerante de caju, que ao contrário da cajuína, é gaseificado. A empresa é o terceiro ponto turístico mais visitado na região, especialmente pelos romeiros e turistas que participam da romaria ao Padre Cícero.

Com faturamento anual de R$ 120 milhões e 450 funcionários, o grupo tem ainda um engarrafamento de água mineral, um cemitério e muito espaço para crescer. De acordo com a presidente do Conselho de Administração da Cajuína São Geraldo, Virgínia Maria Sousa Bernardo, a marca está presente em todo o Nordeste, exceto a Bahia, e é líder absoluta no Ceará.

Agora, a empresa quer aumentar ainda mais sua participação no mercado do Grande Recife e de outras regiões.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.