Brasil

Família de menina de 10 anos estuprada aceita programa de mudança de endereço e identidade; acusado segue preso

A saída da criança do hospital em Pernambuco, onde foi realizado o aborto, foi confirmada nessa quarta-feira (19), mas a data e horário da alta e o destino da menina não foram divulgados.

20/08/2020


Homem de 33 anos suspeito de estuprar e engravidar sobrinha de 10 anos, no ES, chega a Vitória após ser preso em MG

A família da menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada no Espírito Santo e passou por um procedimento para interromper a gestação aceitou participar do Programa de Apoio e Proteção às Testemunhas, Vítimas e Familiares de Vítimas da Violência (Provita), oferecido pelo Governo do Espírito Santo que prevê apoio como mudança de identidade e de endereço.

A saída da criança do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), em Pernambuco, onde foi realizado o aborto, foi confirmada nesta quarta-feira (19), mas a data e horário da alta e o destino da menina não foram divulgados. O tio dela, suspeito do crime, foi preso na terça-feira (18), em Betim, Minas Gerais e foi transferido para um presídio da região.

Segundo a Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), o programa tem caráter sigiloso, portanto, mais informações acerca da criança e de sua família não serão repassadas.

Programa

De acordo com informações disponíveis no site da SEDH, o programa visa, entre outras coisas, “proporcionar à pessoa protegida reinserção social em novo território, diverso do local do fato e da ameaça; promover apoio ao exercício das obrigações civis e administrativas que exigirem comparecimento pessoal; promover, de forma segura, o acesso a direitos, inclusive à convivência familiar e comunitária”.

Aborto em Pernambuco

A menina de dez anos da cidade de São Mateus, no Espírito Santo, engravidou após ser estuprada pelo tio desde o seis anos de idade. Ela teve alta nesta quarta-feira (19) do hospital onde interrompeu a gestação, no Recife (PE), por ordem da Justiça.

Na terça (18), a direção do hospital informou que a garota estava bem e tinha condições de ter alta médica, mas que isso só podia ocorrer depois que fossem adotadas medidas para preservar a integridade da vítima.

A saída da criança do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam) foi confirmada nesta quarta-feira (19), mas a data e horário da alta e o destino da menina não foram divulgados.

Prisão

O tio dela, suspeito do crime, foi preso na terça-feira (18), em Betim, Minas Gerais. Segundo relato da vítima, o crime ocorria desde quando a garota tinha 6 anos, em São Mateus, no Espírito Santo. A garota não denunciou porque disse que era ameaçada.

Depois de preso, o tio foi ouvido pela polícia, mas o teor do depoimento não foi divulgado. “Informalmente” ele teria confessado o abuso aos policiais que fizeram a prisão.

A menina precisou ir ao Recife para interromper a gravidez porque, no estado de origem, os médicos do hospital em que ela foi atendida afirmaram que não tinham capacidade técnica para fazer o procedimento.

Na terça (18), o médico diretor do Cisam, Olímpio Morais, afirmou que a criança voltou a sorrir depois do procedimento. Na unidade de saúde, a menina recebeu presentes como perfume, maquiagem, livros, brinquedos e flores.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.