Nordeste

Fátima Bezerra se reúne com setor literário para dialogar sobre a Lei Aldir Blanc

Implementação da Lei Aldir Blanc no Estado será via Fundação José Augusto (FJA)

02/10/2020


Fátima Bezerra durante encontro

Revista Nordeste

Em reunião com escritores, editores, livreiros e ativistas literários, a governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra ouviu suas reivindicações, como vem fazendo com todas as classes e setores culturais para a condução da implementação da Lei Aldir Blanc no Estado, via Fundação José Augusto (FJA).

“Nesse contexto de pandemia, sem dúvida esse setor foi muito afetado. Nem as feiras pudemos realizar. Com certeza foi um baque para vocês”, destacou a governadora, completando: “Fizemos um grande esforço para a abertura do diálogo, como é próprio de um governo popular como o nosso. Dialogar com os segmentos, tendo claro que ouvindo os argumentos, a obrigação do governo é fazer os ajustes”, acrescentou a chefe do Executivo estadual.

A Câmara Setorial do Livro e da Literatura do Rio Grande do Norte pleiteia a destinação de recursos emergenciais para aquisição e distribuição de 59 mil exemplares de livros, com ênfase nas novas produções, com premiação de obras e projetos literários, e também na retomada da comercialização, com aquisição de livros de autores potiguares e de literatura em geral. “Essa rede de produção do livro, da escrita e da leitura tem que ser ressaltada”, defendeu Jania Souza, da União Brasileira dos Escritores do RN.

A Fundação José Augusto lançou a minuta de edital para seleção de 90 projetos com foco na publicação de livros, revistas e reportagens culturais de autores residentes e domiciliados no Rio Grande do Norte, como fomento ao setor do livro e leitura em nosso Estado. Os recursos necessários ao desenvolvimento dessas atividades artístico-culturais são provenientes do orçamento geral da Fundação José Augusto (FJA) referente ao exercício fiscal de 2020, por repasse da Lei 14.017 (Lei Aldir Blanc), com premiações no valor bruto de R$ 684 mil, sendo que 50% deste montante serão destinados para a Região Metropolitana de Natal e 50%, para o interior do Estado.

”Temos que compreender que estamos num processo de enfrentamento da Covid. Todo nosso esforço está em distribuir esses recursos da melhor forma possível para que atinjam toda a cadeia, todo o setor cultural”, acrescentou Luciana Daltro, assessora especial do Gabinete Civil, que acompanhava a governadora na reunião.

A proposta de ajuste lançada na reunião atinge quatro ações: premiação de 70 projetos editoriais no prelo; edições recentes; edições de livros potiguares; e aquisição e distribuição de livros literários. A governadora se comprometeu com os representantes do setor em levar as propostas ao conhecimento da Fundação José Augusto e retornar em momento próximo para acertar os ajustes. “O propósito é para que esses livros possam chegar às mãos do professor e do aluno. A biblioteca comunitária também é importantíssima”, afirmou Fátima Bezerra.

Não deixou de ser citado e elogiado durante a reunião, por parte dos representantes dos setores dos livreiros e escritores, os dois anos de vigência da Lei Federal 13.696, uma proposição da então senadora Fátima Bezerra, que instituiu a Política Nacional de Leitura e Escrita.

Dentre suas diretrizes estão a universalização do acesso ao livro, e o reconhecimento do papel fundamental das cadeias criativa, produtiva, distributiva e mediadora do livro e da literatura. A normativa é essencial à formação de novos leitores no país.

Também estavam presentes à reunião Maria do Carmo, do Fórum Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas; Jania Souza, da União Brasileira dos Escritores do RN; Cleudivan Jânio, representando a cadeia produtiva editorial; e Aluízio Azevedo, representando os livreiros do RN.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.