Política

Flávio Bolsonaro alega risco sanitário para adiar CPI, e Renan Calheiros ironiza: “Finalmente aderiu à ciência”

O tom de desespero marcou a fala do senador  Flávio Bolsonaro durante a instalação da CPI da Pademia no Senado, nesta terça-feira (27), que irá investigar as arbitrariedades cometidas pelo governo federal no período da pandemia.

Tentando reverter a criação da Comissão, Flávio argumentou que há um risco de os senadores se contaminarem pela Covid-19 por conta do fórum ser presencial. No entanto, a preocupação do senador não condiz com suas ações. Recentemente, ele foi destaque na mídia ao viajar para o Ceará, em plena pandemia, para fazer turismo. No resort luxuoso, ele deslocou o braço e precisou colocar uma tipoia, vestida por ele na reunião da CPI.

Ataque às mulheres

Ele também proferiu declaração machista contra as mulheres, durante participação na CPI da Covid, que está sendo instaurada nesta terça-feira (27) pelo Senado.

“Em primeiro lugar eu acho que as mulheres já foram mais respeitadas. Estão fora da CPI e não fazem nem questão de estar nela. Se conformam em acompanhar os trabalhos à distância”, afirmou o parlamentar.

Flávio também disparou ataques contra Renan Calheiros, relator da CPI. “que escolham um relator isento, com responsabilidade”, disse.

Renan rebate 

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Pandemia, reagiu com ironia à declaração do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) de que a CPI irá provocar aglomerações e resultar até em mortes de parlamentares.

“É muito importante comemorar a declaração do senador Flávio Bolsonaro. Afinal, é a primeira vez que ele se preocupa com aglomeração. É muito bom que ele esteja aderindo à ciência às necessidades dos brasileiros”, disse o senador.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp