Maranhão

Flávio Dino afirma que inquérito sorológico será divulgado na segunda (24) para mensurar imunidade coletiva no Maranhão

Os dados do inquérito sorológico, segundo o governador, vão dar uma estimativa do quadro real do coronavírus no Maranhão

21/08/2020


Nesta sexta-feira (21) o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), afirmou que o inquérito sorológico, realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), está na fase final e, na próxima segunda (24), vai divulgar o resultado da pesquisa para mensurar a imunidade coletiva no Maranhão.

A imunidade coletiva (ou “de rebanho”) acontece quando uma certa porcentagem da população é contaminada e, assim, ganha imunidade. Ou seja, se cria uma barreira natural à propagação do vírus.

“Paradoxalmente, o número alto de pessoas contaminadas, que nós não desejamos, por outro lado traz uma barreira natural, porque significa que existem muitas pessoas com os anticorpos, ou seja, com a capacidade de conter a disseminação do coronavírus. Quanto maior essa barreira natural, menor a chance de ter novos picos do coronavírus no futuro”, ressaltou Flávio Dino.

Os dados do inquérito sorológico, segundo o governador, vão dar uma estimativa do quadro real do coronavírus no Maranhão. Flávio Dino ressaltou que o inquérito não foi feito com todo mundo, mas em forma de amostragem.

“Lembramos que o inquérito sorológico não é feito de modo censitário, ou seja, não foi feito teste em toda a população. Mas sim por amostragem, por critérios estatísticos científicos, para nós dimensionarmos, afinal, qual a resposta provável à seguinte pergunta: quantas pessoas do Maranhão tiveram contato com o coronavírus, mesmo sem saber?”, explicou.
Dino destacou que há pessoas que tiveram sintomas leves que podem ter sido confundidos com algo trivial, como um pequeno resfriado. Ainda de acordo com o governador, o resultado do inquérito é relevante porque vai indicar o tamanho da chamada imunidade coletiva no Maranhão.

Ainda de acordo com Flávio Dino, com base nos números apontados pelo inquérito sorológico, o governo irá planejar as ações a serem adotadas nos próximos meses no Maranhão, até que se tenha a vacina contra a Covid-19.

Sobre a produção de vacina contra o novo coronavírus, o governador apontou que ainda vai demorar o processo de vacinação contra a doença no Brasil.

“Muito seguramente não teremos vacina nos lares dos brasileiros e brasileiras em poucos meses. Ainda que saim notícias esperançosas, depois que houver a validação das vacinas, vários países já anunciaram, há toda uma fase de debates científicos, validação pela Anvisa, que é autoridade sanitária federal, para aí poder haver a fabricação, a comercialização, a circulação, a logística a distribuição. Então, nós não estamos falando de poucos meses, isso significa que devemos prevenir”, ressaltou.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.