Maranhão

 Flávio Dino dialoga com membros do MST e reforça incentivo ao trabalhador do campo

16/01/2020


Texto: Paiva Silva
Foto: Handson Chagas

O governador Flávio Dino recebeu na manhã desta quinta-feira (16), membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Maranhão, para diálogo sobre ações voltadas aos trabalhadores do campo. O encontro ocorreu no Palácio dos Leões e teve a participação de secretários de Estado e de um representante da Coordenação Nacional do MST.

Na reunião, foram discutidos os avanços das iniciativas do Governo do Estado voltadas aos trabalhadores do campo, como projetos nas áreas de produção, agroecologia, agricultura familiar e educação. O membro da Coordenação Nacional do MST, Alexandre Conceição, ressaltou a importância dessas ações para quem trabalha no campo.

“O apoio do Governo tem sido fundamental para a inclusão do trabalhador do campo, com o fortalecimento da produção e a comercialização dos produtos da agricultura familiar, a exemplo da nossa farinha de puba; além de programas na área da educação e agroecologia”, pontuou Alexandre.

Durante a reunião, foi anunciada a segunda fase do programa de alfabetização de jovens, adultos e idosos, o “Sim, eu posso!”. Executado pelo Governo do Estado em parceria com o MST, o programa priorizou, na primeira fase, os municípios com menores índices de desenvolvimento humano. Já na segunda etapa, o objetivo é contemplar grandes centros urbanos, a começar por Imperatriz.

“Tivemos uma primeira fase do programa com resultados excelentes, e, com base nesse aprendizado, faremos uma nova experiência a partir de Imperatriz, agregando outros elementos do ponto de vista de educação e mobilização popular”, explicou o secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, que reforçou, ainda, a importância do programa nas grandes cidades.

“Entendemos que, ao mesmo tempo que temos que agir nos municípios mais pobres do Estado, precisamos agir também nos “bolsões” de extrema pobreza existentes nos grandes centros urbanos do Maranhão, a exemplo da área metropolitana de Imperatriz”, afirmou.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.