Nordeste

Fundaj e APL firmam acordo para difundir literatura, língua portuguesa e cultura

Primeira ação em conjunto promoverá série de palestras online baseadas nas histórias de escritores como João Cabral de Melo Neto e Carlos Penal Filho, a partir de 16 de setembro

10/09/2020


Revista Nordeste

A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), por meio de sua Diretoria de Memória, Educação, Cultura e Arte (Dimeca), firmou parceria com a Academia Pernambucana de Letras (APL) para a produção e realização conjunta de cursos, conferências, visitas comentadas e apresentações musicais com explicações. Inicialmente, as ações que se pretendem desenvolver têm um caráter imediato e de menor dimensão, ficando uma proposta mais ampla para uma segunda etapa. Assim, para esta primeira parte, serão realizadas oito palestras online, no formato digital utilizado pela Fundaj, nos meses de setembro, outubro e novembro. As atividades serão ministradas por acadêmicos da APL no período de 16 de setembro a 11 de novembro de 2020, sempre nas quartas-feiras.

“Estamos nos unindo em favor da difusão das letras e cultura pátrias. A septuagenária Fundaj contempla vários pontos semelhantes a centenária APL, no que diz respeito a valorização dos povos e conhecimentos do nosso país. Dessa forma, essa parceria agrega e fortalece ainda mais o trabalho das duas instituições que permanecem vivas e contemporâneas”, afirmou o presidente da Fundaj e também acadêmico da APL, Antônio Campos.

Além de serem oferecidas para o público geral, as atividades educativas resultantes da parceria entre as duas instituições visam o alcance de estudantes das Redes Pública e Particular de Ensino do Estado. No campo cultural, a ideia é promover concertos musicais acompanhados de aulas sobre o universo apresentado. “As duas instituições têm, na sociedade, um papel de mantenedoras da memória cultural e incentivadoras da renovação no campo das Letras e das Artes. O convênio entre ambas consolidada a ponte entre nossas Casas”, destacou o presidente da APL, Lúcio Varejão Neto.

Devido ao período de isolamento social em combate à Covid-19, tem se exigido uma transformação na forma de se comunicar saberes. A literatura, a memória recente e remota dos escritores e a língua portuguesa fazem parte dos conhecimentos que precisam ser comunicados. Por isso, a parceria entre as organizações realizará, como primeira ação em conjunto, um ciclo de eventos online sobre nomes importantes e significativos para a cultura brasileira.

“Como se pode comprovar na agenda proposta, trata-se de um conjunto multidisciplinar que, tendo a literatura como ponto de partida e chegada, alcança também a música, as ciências sociais, a história. Consoante o propósito da Diretoria, externado no seu próprio nome, decidiu-se por comum acordo verbalizado, batizar-se esses encontros de Celebrações da Memória”, destacou o diretor da Dimeca da Fundaj, Mario Helio.

A APL contará com a experiência que a Fundaj já tem desenvolvido para promover palestras digitais. As Celebrações da Memória apresentarão ministrações sobre Carlos Penal Filho (o poeta do azul), João Cabral de Melo Neto (centenário de nascimento), Gilberto Freyre e a gastronomia, Clarice Lispector (ensaio imagem/palavra), a poesia de Joaquim Cardozo, Celina de Holanda e Lourenço Barbosa (Capiba). Além disso, a palestra de encerramento da série trará o tema: “Três homens chamados João e os 90 anos da Revolução de 30”.

Sobre a APL

A Academia Pernambucana de Letras é uma instituição de qualidade e alto prestígio local e nacional. Foi instalada no Recife em janeiro de 1901 e está às vésperas de completar seus 120 anos. Localizada no bairro das Graças, sua sede fica em um belo casarão, que foi a antiga residência do Barão Rodrigues Mendes, projetado pelo arquiteto francês Louis Léger Vauthier.

A associação civil sem fins lucrativos é uma das mais antigas do país e foi a terceira academia de letras criada no Brasil. Fundada por Carneiro Vilela e mais 19 escritores pernambucanos, tem a missão de promover os valores culturais do país, especialmente no campo da criação literária.

Suas ações giram em torno da realização, individual ou colaborativamente, de seminários, colóquios, festivais e feiras literárias, prêmios literários, lançamento de livros, cursos, rodas de leitura, edição de livros e revistas, recitais de música, saraus, entre outros.

Atualmente, a instituição conta com a colaboração de 40 acadêmicos, os quais ocupam as “cadeiras” simbólicas da APL. Esses são pernambucanos natos, ou brasileiros de outros estados, residentes em Pernambuco há pelo menos 10 anos. Todos possuem obras publicadas, de reconhecido valor literário. Nomes como Lourival Holanda, Elyana Caldas Silveira e Margarida Cantarelli ocupam essas cadeiras.

Serviço:

Celebrações da Memória

Datas: 16 de setembro a 11 de novembro (sempre nas quartas-feiras)
Hora: (perguntar)
Plataforma: canal da Fundaj no YouTube

Programação:

Setembro

Dia 16: Celina de Holanda – palestra proferida pela acadêmica Luzilá Gonçalves Ferreira.

Dia 23: João Cabral de Melo Neto, centenário de nascimento – palestra proferida pelo acadêmico Alvacir Raposo.

Dia 30: Clarice Lispector: ensaio imagem/palavra – Lourival Holanda.

Outubro

Dia 7: Antônio Maria – palestra proferida pelo acadêmico Arthur Carvalho

Dia 21: Lourenço Barbosa – Capiba – palestra/recital proferida pela acadêmica Elyana Caldas Silveira.

Dia 28: Carlos Pena Filho, o poeta do azul – palestra proferida pelo acadêmico Paulo Gustavo.

Novembro

Dia 4: Gilberto Freyre. Gastronomia, por Maria Lectícia Cavalcanti.

Dia 11: Três homens chamados João e os 90 anos da Revolução de 30 – palestra proferida pela acadêmica Ana Maria César.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.