Política

Fusão entre PCdoB e PSB com Flávio Dino como pré-candidato ganha força e pode gerar fundo de R$ 145 milhões; entenda

Fundo dos dois partidos juntos é superior ao recebido pelo PSDB, DEM e PP, e poderia resultar na união da esquerda visando o pleito presidencial de 2022

20/07/2020


Na imagem o governador do Maranhão, Flávio Dino

A ideia do governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB) de fundir o seu partido ao PSB, criando uma frente ampla da esquerda quanto as eleições de 2022, vem ganhando força entre setores das duas legendas. Segundo reportagem do jornal O Globo, a fusão resultaria em acesso a recursos de cerca de R$ 145 milhões do fundo partidário, montante superior ao recebido pelo PSDB, DEM e PP, e poderia resultar na união da esquerda visando o pleito. O governador maranhense vem se posicionando como um possível pré-candidato dessa fusão.

Dino tem dito a interlocutores que a “fusão” poderia atrair nomes insatisfeitos com suas legendas atuais, como o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), por exemplo. A dificuldade, porém, está na falta de união do campo progressista, uma vez que partidos como o PT e o PDT não devem desistir de disputar as eleições de 2022 com candidaturas próprias.

O chefe do Executivo maranhense também observa que esta fragmentação poderá resultar na derrota das candidaturas de esquerda em todas as capitais nas eleições de novembro deste ano. Atualmente, PT PSB e PDT comandam cinco capitais, enquanto o PT e o PCdoB não possuem nenhuma.

Apesar de lamentar a possibilidade de uma derrota deste nível, Dino avalia que, caso isso venha a ocorrer, o resultado imediato poderá resultar em uma maior união do campo progressista e, consequente, fortalecer a criação de um novo partido visando o pleito presidencial de 2022.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.