Nordeste

Governo da Paraíba é vítima de fake news sobre operação Calvário e vai acionar PGE contra veículos de imprensa, diz secretário

"Todas as providências jurídicas estão sendo tomadas pela Procuradoria-Geral do Estado", afirmou Nonato

27/10/2020


Na imagem o secretário de Governo da Paraíba, Nonato Bandeira

secretário de Governo da ParaíbaNonato Bandeira, afirmou nesta terça-feira (27), que Governo do Estado e o governador João Azevêdo estão sendo vítimas de mais uma fake news por parte da imprensa, coincidentemente às vésperas das eleições municipais, que segundo ele, plantou informações de buscas e apreensões em decorrência da nona fase da Operação Calvário contra Azevêdo.

Segundo Nonato, “nem o governador e nem o Governo foram alvos hoje de manhã de qualquer operação da PF e do MPF, como informaram veículos de imprensa, alguns deles localizados na Paraíba e envolvidos nas disputas eleitorais nas principais cidades paraibanas”, afirmou.

“Todas as providências jurídicas estão sendo tomadas pela Procuradoria-Geral do Estado no sentido de restabelecer a verdade e responsabilizar os que plantaram e divulgaram mais essa fake news contra o Governo da Paraíba”, disparou Nonato.

Polícia Federal corrobora nota
O delegado da Polícia Federal Conrado de Almeida, corroborou a nota do Governo da Paraíba, nesta terça, e garantiu que o governador João Azevêdo não foi alvo de nenhum mandado da nova fase da Operação Calvário. Diferente do noticiado por alguns veículos de comunicação, os alvos foram um operador de propina e pessoas ligadas ao conselheiro do Tribunal de Contas da Paraíba, Arthur Cunha Lima.

Entenda
A Policia Federal deflagrou, em conjunto com a Procuradoria-Geral da República (PGR), com o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco/MPPB) e com a Controladoria-Geral da União (CGU) a operação com objetivo de investigar a atuação de uma organização criminosa por meio da contratação fraudulenta de organizações sociais (OS) para gerir os serviços essenciais da saúde e da educação no Estado da Paraíba.

A operação visa robustecer o conjunto probatório de situações verificadas nas fases anteriores, principalmente no tocante ao crime de lavagem de dinheiro. Ninguém foi preso.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.