Política

Guedes diz que Maia tem acordo com a esquerda para travar privatizações; presidente da Câmara rebate: ‘desiquilibrado’

Maia já havia dito em outras oportunidades que não há votos na Câmara para tirar recursos do Fundeb para o Renda Cidadã, além das pauta de privatizações

30/09/2020


Na imagem o ministro da Economia Paulo Guedes

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, rebateu nesta quarta-feira (30), de forma dura, a declaração do ministro da Economia Paulo Guedes que afirmou existir ‘boatos’ de um suposto acordo entre Maia com partidos da esquerda, e que por isso, ele teria travado a aprovação de pautas prioritárias do Governo Federal na Casa.

Maia já havia dito em outras oportunidades que não há votos na Câmara para tirar recursos do Fundeb para o Renda Cidadã, além das pautas do Governo que tratam privatizações como prioridade.

“Paulo Guedes quer desviar o foco do debate do teto de gastos. Ele não tem base, não tem voto para aprovar privatização e nem CPMF. E a culpa é dos outros?”, disse ele.

“Guedes está desequilibrado. Recomendo que ele assista ao filme ‘A Queda'”, completou em entrevista ao blog da jornalista Andréia Sadi ao falar sobre os ‘boatos’.

Entenda a polêmica

O ministro da Economia Paulo Guedes afirmou nesta quarta, durante live, de que haveria boatos de um acordo entre o presidente da Câmara e partidos da esquerda para “não pautar as privatizações” na Casa.

“Não há razão para interditar as privatizações. Há boatos de que haveria acordo entre o presidente da Câmara e a esquerda para não pautar as privatizações. Precisamos retomar as privatizações, temos que seguir com as reformas e temos que pautar toda essa transformação que queremos fazer. A retomada do crescimento vem pela aceleração de investimentos em cabotagem, infraestrutura, logística, setor elétrico, das privatizações, Eletrobrás, Correios… Estamos esperando”, disse Guedes.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.