Piauí

Hospital de Picos é referência na recuperação de pacientes com a Covid-19

12/06/2020


Referência na recuperação de pacientes com Covid-19 no sul do estado, o Hospital Regional Justino Luz, em Picos, já registrou 27 altas de pacientes infectados pelo novo coronavírus que estiveram internados para tratamento da doença.

“O sucesso na recuperação de pacientes que passaram pelo Justino Luz com Covid-19 se deve à estruturação do hospital, bem como, aos protocolos de atendimento”, explica a coordenadora da UTI Covid, Nara Laís.

A médica avalia que, “Graças a Deus, até o momento, não tivemos um pico de casos e isso se deve ao isolamento social, um sinal de que está funcionando em Picos”.

Outro fator para os bons índices de recuperação no hospital é a preparação para receber pacientes de toda macrorregião, pois segundo Nara Laís, a maioria das pessoas atendidas que passaram pela UTI não foram da cidade de Picos, mas de outros municípios. Ela também explica que eles já estavam, no mínimo, com oito dias de sintomas. “Temos muitos pontos positivos, como a estrutura do hospital, que facilita o tratamento e as medicações”, avalia a coordenadora.

No mês de maio, 34 pessoas infectadas pelo novo coronavírus deram entrada no Justino Luz, sendo que 2,97% representam os óbitos por complicações causadas pela Covid-19. Nesse período, houve internação na UTI Covid em apenas quatro leitos. A quantidade de pacientes com alta médica para continuar o tratamento em domicílio representa 28,38% dos casos e apenas 1,65% seguem em internação.

O diretor clínico do Hospital Justino Luz, médico neurologista Tércio Luz Barbosa, analisa os resultados nessa primeira etapa da doença e destaca que, seguindo os fluxos e protocolos e experiências do Brasil e de outros países, além da capacitação dos profissionais, os resultados vêm dando certo. “Conseguimos fornecer a assistência desde os casos moderados até os casos mais críticos, com suporte intensivo necessário.

O resultado é o sucesso no enfrentamento da pandemia, expresso nas 27 altas hospitalares em menos de 30 dias”, destaca o gestor.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.