Paraíba

João Azevêdo critica flexibilização por ‘achismo e sentimento’ e defende análise científica para volta às aulas na Paraíba

26/10/2020


Revista Nordeste

O governador da Paraíba João Azevêdo comentou, nesta segunda-feira (26), o inquérito sorológico que será iniciado em todo o Estado para estudar o atual cenário da disseminação do novo coronavírus na Paraíba. Ele defendeu a tomada de decisões referentes à flexibilização do isolamento social baseadas na ciência e não no ‘achismo’.

“Quanto mais tivermos conhecimento desse vírus, do cenário epidemiológico que vivemos, poderemos tomar decisões baseadas na ciência, no estudo detalhado com as informações corretas”, disse.

Azevêdo criticou ainda medidas de flexbilidalção tomadas por ‘achismo’ ou ‘sentimento’.

“Vai ser possível através dessa pesquisa subsidiar por exemplo o retorno das aulas presenciais para que não se tome medidas por achismo como muitas vezes se faz. Se decide tomar essa ou aquela medida baseada em sentimento, queremos fazer baseado em ciência”, cravou.

João ainda pontuou que “claro que a retomada que queremos a Paraíba das atividades tem que ter como base o fundamento cientifico. essa pesquisa que estamos fazendo vai fazer com que a gente tenha uma informação real sobre o comportamento do vírus da Paraíba”.

Pesquisa

O Governo do Estado da Paraíba realizará um levantamento pioneiro no Brasil para avaliar a situação do estado na pandemia. Entre os dias 3 de novembro e 25 de dezembro, 9.600 pessoas serão entrevistadas e testadas para o vírus em 130 municípios paraibanos. O piloto deste projeto será realizado em João Pessoa, amanhã (27), por profissionais ligados à Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba – Fapesq.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.