Paraíba

Juiz mantém as prisões de Coriolano Coutinho, Gilberto Carneiro, Waldson Souza e outros alvos da Calvário

18/12/2019


Revista NORDESTE

 

Também foram mantidas as prisões preventivas de Francisco das Chagas, Márcia Lucena, José Arthur Viana e Vladimir dos Santos. A deputada estadual Estela Bezerra ainda aguarda alvará de soltura, após a revogação da prisão pela ALPB.

 

Nove presos durante a sétima fase da Operação Calvário – Juízo Final passaram por audiência de custódia, na manhã desta quarta-feira (18), na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. O juiz Adilson Fabrício deferiu os pedidos de prisão preventiva da deputada estadual Estela Bezerra (PSB); da prefeita do Conde, Márcia Lucena; do advogado Francisco das Chagas Ferreira, do ex-secretário de Estado da Saúde,  Waldson de Souza; do ex-secretário Executivo de Educação, José Arthur Viana Teixeira; do ex-procurador-geral do Estado da Paraíba Gilberto Carneiro; do irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho; e do empresário Vladimir dos Santos Neiva.

 

De acordo com a decisão do magistrado, Francisco das Chagas, Waldson de Souza, José Arthur Viana Teixeira, Gilberto Carneiro, Coriolano Coutinho e Vladimir dos Santos Neiva seguem para a Penitenciária Média de Mangabeira Juiz Hitler Cantalice, em regime de prisão diferenciada, ou seja, alojados em celas especiais. Já a prefeita Márcia Lucena será encaminhada para o Presídio Feminino Júlia Maranhão.

 

De acordo com o juiz Adilson Fabrício, conforme a decisão do desembargador Ricardo Vital, responsável pelos pedidos de prisão preventiva, para evitar influência política no processo judicial, os alvos Ricardo Coutinho – que ainda se encontra fora do país e não foi preso – e Coriolano Coutinho poderão figurar no mesmo ambiente prisional, porém, Gilberto Carneiro, Waldson de Souza e os demais devem ser mantidos em separado e sem contato de qualquer natureza. Esses alvos ficam proibidos também de receber visitas, exceto de familiares de 1º e 2º graus (em linha direta e colateral) e advogados.

ESTELA BEZERRA

A deputada Estela Bezerra também será conduzida para o Presídio Feminino Júlia Maranhão. No entanto, a parlamentar aguarda alvará de soltura após a Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) ter decidido pela revogação do ato de prisão preventiva,  na noite de terça-feira (17).

 

Durante a audiência, Estela Bezerra chegou a questionar ao juiz as razões de continuar presa e de participar da audiência de custódia, após a decisão da Assembleia. “Estou aqui para cumprir a decisão do relator, quem tem a competência para apreciar a validade da prisão é a Assembleia, e ela fez ontem à noite, no entanto, até o final desta audiência, eu tomei conhecimento que o procurador jurídico da Assembleia fez entrega da decisão ao relator e está sob apreciação dele”, explicou o magistrado.

“Os autos que estava aqui comigo, ele determinou a juntada e vai apreciar. Acho que no final da tarde deverá ter uma decisão da relatoria em relação a isso aí. Ninguém está contestando a validade da decisão da Assembleia, ela vai ser levada em consideração, mas só quem tem competência para avaliar isso é o M.M. relator, o desembargador Ricardo Vital”, complementou o magistrado.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.