Política

Maia nega abrir impeachment após nova agressão de Bolsonaro a jornalista

"Espero que o presidente retome o tom mais moderado dos últimos 66 dias", disse ele

25/08/2020


Na imagem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a ter uma reação moderada e trivial em favor de Bolsonaro sobre mais um gesto grave do presidente, que desta vez se configura em um novo crime de responsabilidade, e sequer mencionou a possibilidade de abrir a discussão para o impeachment.

“Espero que o presidente retome o tom mais moderado dos últimos 66 dias. A liberdade de imprensa é um valor inegociável na democracia”, comentou Maia.

LEIA MAIS: Bolsonaro diz que jornalistas são’bundões’ e têm mais chances de morrer por Covid-19

Na tarde desse domingo (23), quando questionado por que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, havia recebido R$ 89 mil em depósitos de Fabrício Queiroz, Bolsonaro disse querer encher de porrada a boca do jornalista que fez a pergunta.

Trata-se do repórter Daniel Gullino, do Globo. Depois da agressão, internautas repetiram a mesma pergunta a Bolsonaro no Twitter, levando nomes como “Fabrício Queiroz”, “Michelle” e “R$ 89 mil” aos assuntos mais comentados nas redes sociais. A hashtag #respondejair também ficou nos trending topics.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.