Internacional

Máquinas ofensivas, Bayern e PSG lutam por glória na Liga dos Campeões

23/08/2020


  1.  Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional – São Paulo

Poucas coisas são tão prováveis na imprevisível decisão da Liga dos Campeões da Europa, entre Bayern de Munique e Paris Saint-Germain, quanto gols. Sim, muitos gols. Afinal, não será justamente no espetáculo principal do maior torneio de clubes do mundo que dois dos três melhores ataques da temporada no Velho Continente passarão em branco, não é?

Quando a bola rolar no Estádio da Luz, em Lisboa (Portugal), a partir das 16h (de Brasília) deste domingo (23), de um lado estará um Bayern que balançou as redes 158 vezes em 51 partidas. A média de 3,1 gols por jogo leva em conta Campeonato Alemão, Copa da Alemanha e a própria Champions, onde a estatística é ainda mais impressionante: 42 gols em 10 jogos. Uma média de 4,2 tentos por rodada.

A equipe de Munique foi mais letal no mata-mata que na fase de grupos da Liga. Na primeira fase, foram 24 gols em seis partidas (quatro por jogo, na média). Já nas quatro vezes em que atuou entre as oitavas de final e a semifinal, o Bayern atingiu uma média de 4,5 gols por duelo, com mais 18 tentos. Oito deles só no histórico 8 a 2 aplicado no Barcelona, da Espanha, pelas quartas de final.

Não à toa, o Bayern é também o time que mais arremata na Liga dos Campeões (230, média de 23 vezes por jogo). A média de chutes em direção ao gol também é elevada, beirando os 10 por partida. A máquina alemã é liderada por Robert Lewandowski, que não só é o artilheiro da competição, com 15 gols, como divide o posto de maior assistente com Ángel Di Maria, do PSG. Ambos somam seis passes para gol.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.