Brasil

Mourão diz que Pazuello será punido por presença no ato de Bolsonaro e deve ir para a reserva

O Vice-presidente Hamilton Mourão disse que o general e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello deverá ser punido por ter participado de um ato político em apoio a Jair Bolsonaro. “É provável que seja [punido]. É uma questão interna do Exército. Ele [Pazuello] também pode pedir transferência para reserva e aí atenuar o problema”, disse

247 – O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o general e ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello entendeu “que cometeu um erro” ao participar de um evento em apoio a Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, neste domingo (23). “Eu já sei que o Pazuello já entrou em contato com o comandante informando ali, colocando a cabeça dele no cutelo, entendendo que ele cometeu um erro”, disse ele nesta segunda-feira (24) a jornalistas na entrada do Palácio da Alvorada. Mourão também disse considerar “provável” que o Exército imponha alguma punição ao militar. 

“É provável que seja [punido]. É uma questão interna do Exército. Ele [Pazuello] também pode pedir transferência para reserva e aí atenuar o problema”, disse Mourão, de acordo com o site G1. O regulamento do Exército proíbe que militares da ativa participem de atos políticos. No evento do domingo, Pazuello não utilizou máscara contra a Covid-19 e subiu em um carro de som onde discursou em apoio a Bolsonaro.   

Ainda segundo o vice-presidente, que também é general, o caso não deverá resultar em uma politização das Força Armadas. “Acho que o episódio será conduzido à luz do regulamento, isso tem sido muito claro em todos os pronunciamentos dos comandantes militares e do próprio ministro da Defesa”, afirmou Mourão. 

*Brasil 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp