menu

Brasil

03/05/2015


1 em cada 4 crianças usa internet no celular; negociar é melhor que proibir

"Uso para entrar no meu Face, no meu Whats, assisto vídeos", conta a garota. "Ando com ele o dia todo. Às vezes a minha mãe pergunta, quer ver as coisas que eu estou conversando." Assim como a Maria Fernanda, 26,4% das crianças de 10 a 14 anos – ou 1 em cada 4 – têm acesso à internet por meio de celulares (o que não exclui a possibilidade de que também utilizem PCs ou tablets), segundo pesquisa divulgada nesta quarta-feira (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento, feito no fim de 2013, é o primeiro do órgão que investiga como as pessoas se conectam à rede.

O índice de conexão por celular entre as crianças de 10 a 14 é superior ao de muitas faixas etárias e maior do que a média nacional, de 22,7%, ou 1 em cada 5 pessoas. O mesmo acontece com o acesso via tablets: enquanto, em média, 6,2% da população brasileira com mais de 10 anos utiliza o dispositivo para se conectar, entre os 10 e os 14 anos o índice sobe para 7,83%. Entre as crianças que usam a internet, o acesso via celular chega a 40%.

O cenário coloca um desafio maior para os pais, avalia Juliana Cunha, psicóloga da SaferNet, organização não-governamental que promove segurança na rede. Afinal, é mais fácil esconder o que se faz na internet quando a conexão é feita por meio de um celular próprio – algo que 49,9% das crianças de 10 a 14 possuía em 2013, segundo o IBGE -, do que por um computador em casa ou na escola.

"Antes tinha a dica de colocar o PC num cômodo social da casa, como a sala [para que se pudesse monitorar o uso]", diz Juliana. "[Agora, com o celular], podem acessar em qualquer lugar."

Segundo Pollyana Mustaro, professora de tecnologia educacional do Mackenzie, não é adequado que as crianças acessem canais de vídeos, como Youtube, sozinhas. "Algumas pesquisas indicam que, às vezes, se está a quatro passos de acessar um conteúdo pornográfico."

Notícias relacionadas