menu

Ceará

26/08/2015


31 detentos fogem de delegacias em quatro dias

Pelo menos 31 presos fugiram de delegacias no Ceará em quatro dias, entre sexta, 21, e segunda-feira, 24. As quatro fugas ocorreram nos municípios de Fortaleza, Itaitinga e Maracanaú (Região Metropolitana) e Itapajé (a 142 km da Capital).

O primeiro dos casos foi registrado em Itaitinga, no dia 21. Cinco detentos fugiram. No sábado, 22, o Sindicato da Polícia Civil (Sinpol-CE) contabilizou duas ocorrências, sendo uma na Delegacia Municipal de Itapajé, com três fugitivos, e a outra no 20º Distrito Policial (DP), no bairro Acaracuzinho, em Maracanaú. Sete pessoas escaparam da unidade serrando as grades. Já na segunda-feira, houve uma fuga em massa do 3º DP, na avenida Bezerra de Menezes. Segundo o Sinpol-CE, 16 detentos serraram a grade, renderam um inspetor, que cuidava sozinho da delegacia, e fugiram levando a motocicleta, documentos, dinheiro e a pistola ponto 40 dele.

Segundo a titular do 3º DP, delegada Lindalva Lima, os policiais civis de folga se reuniram em uma força-tarefa para recapturar os detentos. Ontem, duas pessoas foram encaminhadas à delegacia, mas não foram reconhecidas como sendo os fugitivos. A motocicleta do policial foi recuperada pela equipe do 12º DP, no Conjunto Ceará. Até o fechamento desta matéria, nenhum dos detentos foi recapturado. Na operação para localizar os fugitivos, as equipes do 3º DP e do 34º DP apreenderam 97 pedras e um pedaço de crack, 15 tabletes e nove embalagens de maconha e 38 comprimidos de rivotril.

Em relação às delegacias de Itaitinga, Itapajé e do Acaracuzinho, também não há informações de detentos que tenham sido encontrados, conforme o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, delegado Jairo Pequeno.

Para o Sinpol-CE, o motivo principal das fugas recorrentes de delegacias é a fragilidade do sistema de segurança nas unidades, que têm apenas um policial para atender a uma grande demanda de presos.

O presidente do sindicato, Gustavo Simplicio, relata que as câmeras de segurança do 3º DP estavam quebradas há seis meses. No entanto, há pelo menos uma semana, o sistema de segurança, incluindo os alarmes, foi retirado. A situação ocorreu em todas as delegacias do Estado por ter chegado ao fim o contrato com a empresa de segurança responsável pelo serviço. A Polícia Civil divulgou que serão instaladas outras câmeras nos distritos. 

Fugas

O delegado-geral da Polícia Civil, Andrade Júnior, reconhece que existe uma dificuldade com os presos nas delegacias, mas afirma que o projeto Audiência de Custódia, lançado segunda-feira na Capital, permitirá uma maior rotatividade dos detentos no sistema prisional e diminuirá a quantidade de presos nas delegacias. A ação faz parte de planejamento junto com o secretário da Justiça, Hélio Leitão, e com o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).
“De dois a quatro meses estaremos diminuindo, consideravelmente, a quantidade de presos nas delegacias. Hoje, nós estamos recebendo 50 vagas por semana e acreditamos que esse planejamento novo deve esvaziar as unidades da Polícia Civil e gerar uma média de 180 a 200 vagas por semana”, projeta.

Segundo o delegado, outro problema que agravou a situação de lotação foi a reforma na Delegacia de Capturas. Para Andrade, a mudança era necessária. “A missão dos nossos policiais não é cuidar de preso, mas estamos trabalhando com as secretarias da Segurança e da Justiça para mudar isso”, afirma. Para o delegado, com a diminuição do número de presos, os policiais voltarão aos trabalhos de investigação.

Sobre a retirada das câmeras dos distritos, o delegado explica que houve um novo contrato e que não seria possível manter laços de continuidade com a empresa antiga. “Tinha um sistema de 93 delegacias e, agora, vamos passar para 79”, pontua.

O Povo

Notícias relacionadas