menu

Paraíba

15/03/2020


Governador já prepara Plano de Trabalho para aplicar R$ 1 Bi em obras e ainda comemora investimentos em 2019 maior do que em 2018

Por Walter Santos

EXCLUSIVO – O Governador João Azevêdo aguarda o repasse da proposta de empréstimos de R$ 1 bilhão autorizado pelo Supremo Tribunal Federal para Ministério da Economia e Casa Civil visando ter a aprovação do Senado Federal em abril, depois do Estado consolidar quinta melhor performance fiscal do País. Ele anda comemorando ainda o status de ter investido mais de R$ 720 milhões em 2019 superior aos investimentos de 2018 na ordem de R$ 690 milhões.

O Secretário de Planejamento da Paraiba, Gilmar Martins, confirmou em entrevista exclusiva à Revista NORDESTE que há um acompanhamento sistemático do processo de empréstimo de R$ 1 Bi, depois da decisão do ministro do STF, Edson Fackin, com objetivo de construir até abril todo rito para assinatura em maio.

Ele explicou que o montante do empréstimo tem três fontes de financiamento diferenciado. São U$ 126 milhões do Banco Mundial para investimentos em saúde, mais U$ 45 milhões do BIRD voltados à Segurança Hídrica e mais R$ 188 Milhões da Caixa Econômica Federal no âmbito da infraestrutura, estradas, adutoras etc.

Com esses recursos da Saúde, o governador vai implantar o Prontuário Único de Saúde permitindo acesso ao histórico dos pacientes em tempo real e em qualquer lugar.

INVESTIMENTOS EM 2019 SUPERANDO 2018
O Secretário revelou que os indicadores oficiais disponíveis provam que o Governo da Paraíba investiu em 2019 cerca de R$ 720 milhões superando a marca de 2018 na ordem de R$ 690 milhões.

Ele admite que os recursos em 2019 do programa Rural Sustentável no valor de U$ 50 milhões tenha interferindo no saldo dos investimentos no ano.

RANKING DA PARAIBA
Gilmar Martins explicou que o Estado paraibano consolidou com base na Receita Corrente Líquida a posição de quinta melhor performance fiscal do Brasil, da mesma forma que fixou em 2019 a condição de quinta menor dúvida do País, em face do rigor fiscal e planejamento.

– O Governador João Azevêdo é exigente nas contas até porque, como conhece todo o histórico fiscal e de investimentos no Estado sempre está cobrando desempenho melhor do que o ano anterior – comentou.

Neste sentido, informou que Azevêdo tem agido com abertura permanente de diálogo com as diversas categorias, entre elas das Policias Militar, Civil e Bombeiros agindo dentro da Responsabilidade, agora com os efeitos do coronavirus, a guerra do petroleo devendo afetar a arrecadação.

ECOS DA VIAGEM À EUROPA

Segundo o secretário, os investimentos produzidos pelo Consórcio Nordeste fazendo negociações com a França e Itália já surtiram efeitos com a presença de delegação italiana no mês passado apontando interesse de investimentos na Paraiba.

Com o Coronavirus evidentemente os entendimentos foram adiados, entretanto a Itália já consolidou sua decisão de investir no Estado, segundo Gilmar Martins.

CONSÓRCIO NORDESTE ATRAI SOLUÇÃO

Gilmar Martins revelou ainda que o Consórcio Nordeste anda promovendo resultados efetivos em favor dos 9 estados. Conforme adiantou, só a área da saúde houve redução na ordem de R$ 50 milhões com a compra na área de saúde.

Além do mais, são permanentes as reuniões das diferentes áreas para subsidiar os governadores nas reuniões do Consórcio regularmente.
No caso da Paraiba, ele atribui recente viagem dos italianos fruto da viagem ano passado.
Ele lembrou que o grave problema da Polícia no Ceará, como outros movimentos na Bahia e Paraíba acabou adiando nova viagem dos governadores à Espanha, agora agravado com Coronavirus.

ESTALEIRO E GIRAMUNDO NO ALVO

Para ele, ainda em 2020 depois de passada a fase de crise por conta do Coronavirus, os investidores americanos e chineses devem iniciar a fase de implantação do Estaleiro na praia de Lucena faltando ajustes na composição dos investimentos com a chegada de terceiro parceiro no projeto.

– O cenário é de reta final para em breve concluir a composição e iniciar a obra – frisou.
Sobre o programa GIRAMUNDO, ele explicou que inexiste qualquer problema, muito pelo contrário, agora com interesse da Italia em participar e que problema localizado ano passado com agencia foi superado sem afetar o programa.

– A ordem é ampliar – concluiu.

Notícias relacionadas