menu

Política

03/08/2015


Abatido, Dirceu esperava prisão todos os dias, há pelo menos quatro meses

Há pelo menos quatro meses o ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu acordava todos os dias de madrugada esperando a chegada da Polícia Federal em sua casa, no Lago Sul de Brasília.

Foi o que disse sua atual mulher, Simone Patrícia Tristão Pereira, a amigos: Dirceu tinha absoluta certeza de que seria preso pela Operação Lava Jato. Sentia-se envelhecido, cada vez mais frágil nos últimos dias, relatou Simone.

A mulher de Dirceu contou que a filha do casal, Maria Antônia, de 7 anos, estava dormindo na hora da prisão. E que o futuro da menina, segundo Simone, era a grande preocupação do ex-ministro nos últimos dias.

Simone também está muito abatida, e disse se sentir desamparada sem o marido. Dirceu foi informado de que, caso seja condenado, poderá pegar uma pena de cerca de 15 anos de prisão.

Como não é mais réu primário, por causa do Mensalão, o cumprimento da pena não poderá ser em regime semi aberto ou domiciliar, como atualmente.

Com o agravante de que, como seu irmão, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, também foi detido sob acusação de envolvimento, e como há acusações de que outros parentes e familiares estariam sendo acusados de atuarem como seus laranjas, Dirceu a mulher temem ficarem sem recursos financeiros neste período de crise e de investigações.

Dirceu está seguro, no entanto, de que desta vez, diferentemente do Mensalão, terá um julgamento menos duro e que algumas de suas provas serão levadas mais em conta do que ocorreu no Supremo Tribunal Federal sob a presiência de Joaquim Barbosa.

Tales Farias

IG

Notícias relacionadas