menu

Brasil

04/04/2014


ACM Neto afirma que chapa das oposições sai nos próximos dias

BAHIA

O prefeito ACM Neto (DEM), que coordena o processo de escolha do candidato antipetista, evitou falar em nomes, mas confirmou ao Bahia Notícias que poderá anunciar a chapa das oposições nesta sexta-feira (4) ou adiar "por pouquíssimos dias", caso haja solicitação das siglas que o apoiam. Alijado da cabeça da coligação, já que Paulo Souto está definido como postulante a governador, o presidente estadual do PMDB Geddel Vieira Lima aguarda o resultado de pesquisas para definir se irá ou não compor o grupo, preferencialmente como aspirante ao Senado.

"Se houver por parte dos partidos envolvidos nesse processo uma sinalização, com mais alguns poucos dias, pouquíssimos dias, é possível construir um caminho diferente do que temos até amanhã [sexta]. Para mim, essa situação já chegou no limite. É preciso ter uma solução, é preciso assumir uma posição sobre esse assunto, mas se for preciso ganhar mais alguns poucos dias, isso terá que vir de uma manifestação dos partidos. Se os partidos disserem 'não, é importante mais três, quatro, cinco dias', eu não tenho problema. Quem já conduziu esse processo até aqui, nos últimos meses, com conversas quase diárias, não vai morrer por conta de três, quatros dias a mais ou a menos", avaliou, em entrevista exclusiva ao BN.

O democrata revelou que manterá diálogo com os representantes das legendas para afinar detalhes da composição. "Não há decisão tomada, isso é fato. No entanto, óbvio, eu já estou preparado para, depois de conversas que vão acontecer ainda hoje, e ao longo do dia de amanhã, tomar uma posição", declarou. Correligionário de Souto, Neto não negou a escolha do aliado, mas preferiu não falar em predileção.

"Eu não vou manifestar preferência. As pessoas vão saber qual é a minha posição no momento certo. Poderá ser amanhã ou, se por acaso até o fim do dia de amanhã os partidos pedirem mais algum tempo, eu posso considerar esse pedido", admitiu. Informações do Palácio Thomé de Souza dão conta de que a data-limite é o dia 8 de abril, próxima terça-feira, quando é aguardada a realização de uma entrevista coletiva para falar de eleições. Pelo que se desenhou na última quarta (2), no cenário sem Geddel, a chapa teria Paulo Souto (governador), João Gualberto, do PSDB (vice), e Célia Sacramento, pelo PV (senadora). Caso o peemedebista resolva ingressar, ele terá a preferência de escolher a posição e os verdes deixam a majoritária.

(Bahia Notícias)

Notícias relacionadas