menu

Brasil

06/11/2015


Aécio tenta atrair Michel Temer para impeachment de Dilma; ‘Nós apoiaremos’

Discutindo 'caminhos para a região Nordeste' em Salvador nesta sexta-feira, o senador Aécio Neves (PSDB) deixou claro que a oposição não terá êxito no golpe contra a presidente Dilma Rousseff sem apoio do PMDB. E a aposta é no vice-presidente Michel Temer, que não apoia explicitamente os opositores, mas tenho colocado lenha na fogueira.

"A degradação da economia é extremamente profunda. É preciso que alguém lidere esse processo (de impeachment). É preciso que viesse alguém legitimado pelas ruas. É óbvio que se a solução vier do vice-presidente Michel Temer, nós apoiaremos", disse Aécio em entrevista a Mário Kertész, dono da rádio Metrópole e ex-prefeito de Salvador pelo PMDB.

O senador tucano ainda tenta fazer intriga dizendo que o ex-presidente Lula faz 'jogo ambíguo' e que o próprio PT faz oposição a Dilma no Congresso.

"O PT não se contenta em ser governo, quer ser oposição também, e aí é uma concorrência desleal. A inflação correndo, os salários, essa inconsistência. Esse jogo ambíguo de Lula fragiliza o governo no Congresso. Se o PT, que é o governo, não apoia as medias, traz ao meu ver inconsistência e fragiliza o governo Dilma".

'Quem resgatou FHC foi o PT'

Aécio atribuiu a volta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ao cenário político ao PT, e tentando ser engraçado, acaba reiterando a baixíssima popularidade que seu correligionário tinha quado deixou o Planalto após oito anos consecutivos de poder.

"Quem resgatou o FHC não fomos nós, foi o PT. Tinha gente que não queria ver o FHC pintado de dourado e ele agora é adorado", disse o senador mineiro.

Candidato em 2018

Derrotado pela presidente Dilma Rousseff há um ano, Aécio Neves não esconde seu desejo de disputar a presidência da República mais uma vez em 2018.

"Não pode haver uma precipitação, o tempo dirá os caminhos que tomaremos. Nós nos reconciliamos com os setores da sociedade, os mais jovens, somos os preferidos dos mais jovens para filiações, readquirimos a confiança. Na hora certa o candidato do PSDB será o que tiver mais condições de unir as forças oposicionistas para enfrentar o PT".

Brasil 247 

Notícias relacionadas