menu

Pernambuco

06/08/2015


Aeroporto do Recife é o segundo mais bem avaliado do país

Pernambuco estaria disparado na frente do Ceará e do Rio Grande do Norte se a disputa pelo Hub da TAM dependesse do critério de satisfação do cliente. O Aeroporto Internacional Gilberto Freyre-Recife foi o segundo mais bem avaliado do País na pesquisa trimestral (abril-junho) realizada pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). O equipamento local alcançou nota 4,33 (numa escala de 1 a 5), atrás apenas do Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba, que obteve 4,43. Concorrentes na briga pelo Hub, Fortaleza ficou em sexto lugar (com nota 4,20) e Natal na décima posição (4,09).

O estudo aponta a percepção dos passageiros sobre os 15 maiores aeroportos brasileiros, observando 48 indicadores de qualidade dos equipamentos. Em 2014, Recife ocupou o primeiro lugar no ranking. Embora tenha mantido crescimento de sua nota geral ao longo dos últimos quatro trimestres (1,8%), o avanço mais acelerado das notas de Curitiba (6,6%) fez o aeroporto do Sul do País conquistar a primeira posição.

As melhores notas do Aeroporto do Recife foram em quesitos como informação nas esteiras de restituição de bagagem, tempo de fila no check-in, cordialidade dos funcionários da emigração, tempo de fila na emigração e eficiência dos funcionários no check-in. Nos voos domésticos, por exemplo, o tempo no check-in caiu de doze para dez minutos. Já no embarque internacional, o tempo de check-in passou de sete para seis minutos, entre o primeiro e o segundo trimestre deste ano.

Os indicadores mais mal avaliados pelos passageiros estão os índices relacionados a preços. O aeroporto recebeu notas abaixo de três em itens como custo do estacionamento, valor dos produtos comerciais e valor dos produtos nos restaurantes e lanchonetes. De acordo com os passageiros entrevistados, o serviço de internet e wi-fi também deixa a desejar, obtendo nota 2,93.

O reconhecimento à qualidade do Aeroporto do Recife também veio com o Prêmio Aeroportos + Brasil 2015, promovido pela Secretaria de Aviação Civil, com o equipamento sendo eleito pelos passageiros como o melhor do Brasil. A qualidade dos serviços, aliada à infraestrutura e à localização geográfica privilegiada são alguns dos trunfos de Pernambuco na disputa pelo novo centro de distribuição de voos que o Grupo Latam Airlines (formado pela brasileira TAM e a chilena Lan) vai instalar no Nordeste. Com investimento de R$ 4 bilhões, o hub vai gerar 10 mil empregos. Além da mobilização política e da oferta de incentivos fiscais, os concorrentes travam uma disputa nas redes sociais, com a população defendendo seus Estados.

A expectativa é que o Estado vencedor seja conhecido em dezembro deste ano. O Grupo Latam está contratando duas consultorias internacionais para fazer a avaliação dos equipamentos e apresentar um estudo de viabilidade. Na experiência mundial, os hubs são utilizados para racionalizar trajetos, reduzir custos e melhorar o atendimento. O hub também repercute no setor do turismo, atividade que dinamiza mais de 50 segmentos econômicos. Mesmo não sendo o único critério, a boa avaliação dos passageiros é ponto positivo para Recife.

JC Online

Notícias relacionadas