menu

Alagoas

30/05/2016


Agentes Penitenciários encerram greve em Alagoas

Está encerrada a greve dos agentes penitenciários de Alagoas. Durante assembleia, realizada na manhã deste sábado (28), no complexo prisional do estado, membros da categoria decidiram, por unanimidade, aceitar os argumentos apresentados pelo governo do Estado e suspender a paralisação, iniciada no dia 10 de maio.

O governo já determinou a operação de desocupação policial do sistema, mas os militares devem permanecer nas unidades para garantir a ordem, hoje, já que as visitas aos reeducandos devem retornar.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas (Sindapen-AL), Kleyton Anderson, em entrevista à Rádio Gazeta AM, a proposta real apresentada pelo Estado, na mesa de negociação, o pagamento de uma bolsa de R$ 500 a ser aumentada até R$ 900, gradativamente, nos subsídios da categoria até 2017. Outros pontos de valorização profissional da classe, como o Plano de Cargos, Carreiras e Salários [PCCS] também foram discutidos e prometidos pelo governo.

"A categoria avaliou a contraproposta apresentada na manhã deste sábado ao Sindapen e decidiu dar um voto de confiança ao governo e suspender a paralisação. A nossa intenção é garantir a valorização profissional a que temos direito e, aos poucos, estamos ligando.

Ocupação

Por determinação do governador Renan Filho, a Polícia Militar ocupou, na manhã deste sábado (28), as unidades do sistema prisional de Maceió. A intenção da medida, segundo a assessoria de imprensa da corporação, era garantir a ordem, a paz, os direitos de familiares e dos próprios reeducandos, além de evitar uma provável rebelião.

Cerca de 60 homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRP) foram mobilizados e se concentraram à porta dos presídios. Por meio deles, a visitação seria assegurada.

Com o fim da greve, parte da tropa que ocupava o sistema se recolheu e outra ficou para dar suporte e segurança durante as visitas e fazendo rondas no entorno do sistema prisional.

A ocupação deste sábado estava sendo coordenada diretamente pelo comandante da Polícia Militar de Alagoas, coronel Marcos Sampaio, e pelos comandantes dos dois batalhões especializados. Não há previsão de desocupação.

Também foram peças importantes para a tomada desta decisão os secretários de Segurança Pública, coronel Paulo Domingos Lima Júnior e o de Ressocialização e Inclusão Social, tenente-coronel Marcos Sérgio de Freitas. 

Notícias relacionadas