menu

Brasil

16/01/2015


Aliado de Cid articula no Ceará recriação do Partido Liberal (PL)

CEARÁ

Acontece, hoje, em Fortaleza, reunião em prol da recriação do Partido Liberal (PL), encabeçada pelo presidente da Federação Brasileira de Hospitais, Aramicy Pinto, irmão do presidente estadual do PSD, Almicyr Pinto. O processo de recriação não é novo, mas tomou fôlego após o ministro das Cidades e presidente licenciado do PSD, Gilberto Kassab, assumir a dianteira das articulações. Isolado no Pros, o ex-governador do Ceará e ministro da Educação, Cid Gomes, é cotado para ser nome de peso na sigla. Seria o sexto partido do ex-governador ao longo de sua carreira política.

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) já registra o PL como um dos partidos em busca de aprovação. Segundo Aramicy,Kassab pode vir ao Ceará tratar do PL na próxima semana.

Pinto afirma que a ligação de nomes políticos, como o de Cid, ainda são “especulações”, mas não nega a expectativa de tê-lo como correligionário. Ele ressalta que a convivência de Cid com o grupo que forma o PSD no Estado é antiga. “É um relacionamento político que já vem há mais de duas décadas”, frisa.

O ex-governador cearense ocupa, atualmente, uma das mais importantes pastas do Governo Federal, a da Educação. Juntamente com Kassab, Cid atua nos bastidores para reduzir a dependência do governo em relação ao PMDB no Congresso Nacional e já manifestou à presidente Dilma Rousseff (PT) o interesse em formar um bloco para neutralizar o partido do vice-presidente Michel Temer.

“Se Cid se dispuser a ir para o PL será um nascimento muito bom para o partido, mas é um político de nível nacional. Vai ser uma discussão com Kassab. Foge à gente”, pontuou Almicyr, presidente estadual do PSD.

Pros

Em 2013, quando decidiu sair do PSB para apoiar Dilma em busca do segundo mandato, Cid levou para o Pros 14 deputados, cinco federais e nove estaduais, e cerca de 50 prefeitos. O cenário deve se repetir caso decida migrar para o PL.

No Ceará, não é apenas o destino de Cid que está em jogo. A mudança pode alterar as estratégias do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), do presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (Pros), da vice-governadora Izolda Cela (Pros), dentre outros.

O desentendimento de Cid com a direção nacional do Pros começou menos de um ano após ele migrar para a sigla. Em 2014, a cúpula rejeitou a indicação feita pelo então governador para o comando do Ministério da Integração Nacional. Sobre a indicação de Cid para Educação, a Executiva Nacional do Pros divulgou nota, afirmando que a escolha foi “pessoal” de Dilma Rousseff (PT).

Aliado de Kassab, Cid ainda não se manifestou sobre a mudança. O PL deve ter o pedido de formalização protocolado até março. Para ter candidatos nas eleições municipais de 2016, o partido deve estar registrado até outubro de 2015, conforme a Justiça Eleitoral.

O PL existiu até 2006, quando se fundiu como Prona e se tornou o PR. Quando a nova versão da sigla cumprir as etapas exigidas judicialmente, se tornará uma nova “janela de infidelidade partidária”, como foi o Pros e o PSD de Kassab.

 (Do O Povo)

Notícias relacionadas