menu

Brasil

24/09/2014


Antônio Radical diz que o MCMV beneficia as empreiteiras e não o trabalhador

Paraíba

Esta terça-feira (23), durante a Sabatina do Portal WSCOM, o candidato ao Governo do Estado pelo PSTU, Antônio Radical, respondeu às perguntas das entidades representativas de classe e dos internautas. Ele falou sobre a seca no Estado, disse que é necessária uma articulação do semiárido para trabalhar com a construção de cisternas mas essa articulação por parte do Governo, não existe.

Sobre o projeto para construção de aeroportos no interior do Estado, Antônio Radical falou que, “o que vem aperfeiçoar o tempo das pessoas é bem vindo. Mas é importante o transporte de massa. Um projeto respeitável é o estudo do BRT que é muito bem feito e que não sei por que o poder público ainda não colocou em prática”.

No que diz respeito à moradia, o candidato destacou a implantação imediata de um plano emergencial de obras públicas. “Achamos que o MCMV é um plano que beneficia muito mais as empreiteiras do que o trabalhador”, ressaltou.

Para a cultura, ele disse que o objetivo é criar ilhas culturais em todo Estado. "O Governo desprezou o fomento a cultura quando preferiu colocar outdoors de obras que nem existiu, gastou milhões, ao invés de investir verdadeiramente na cultura do Estado".

Redução do orçamento UEPB – No governo Cássio essa redução orçamentária já começou a acontecer. A Lei diz que deve ter 3% da receita orçamentária, mas ano após ano vem tendo redução do orçamento. Nossa política é defender os recursos para a UEPB e que a Universidade volte a ter seus projetos e desenvolvimentos.
Plano para o desenvolvimento efetivo dos produtores rurais – Os micros produtores são a mola mestra da nossa economia. Nosso Governo terá outros olhos para estes trabalhadores. A questão da agua é um problema. É necessária uma articulação do semiárido para trabalhar com a construção de cisternas. Mas não existe uma articulação Governo com essa articulação do semiárido. A grande questão hoje é o fomento à agricultura familiar. Implantar a política de reforma agraria, fazer com que as pessoas que foram expulsas voltem ao campo para abastecer os centros urbanos com alimentos bons e baratos, destacou.

Relevância de linha de voo dentro do próprio Estado – No debate, questionaram tanto sobre o aeroporto em Cajazeiras que o atual Governo foi obrigado a dizer que em dezembro estaria pronto (risos). Acho que o que vem aperfeiçoar o tempo das pessoas é bem vindo. Mas é importante o transporte de massa. Um projeto respeitável é o estudo do BRT que é muito bem feito e que não sei por que o poder público ainda não colocou em prática. Nós somos contra o governo bancar parte das passagens. Se já construiu e vai manter, porque ter gasto com metade dos acessos, indagou o candidato.

Diretos sexuais e reprodutivos das mulheres, casamento homoafetivo e aborto – O PSTU defende as bandeiras dos movimentos. Seja das mulheres, negros, LGBT´s. Entendemos que estas questões devem estar inseridas no Estado laico. Não da para debater esses temas em cima das questões religiosas. Temos que respeitar as posições de cada um.

Seca na Paraíba – A situação é critica porque não houve um planejamento adequado. Não tem como viver nos anos 30 destinando carro pipa para todas as cidades para tentar salvar a vida das pessoas. Fazer um convênio com a AESA e instalar as cisternas em toda Paraíba e ao mesmo tempo criar uma política hídrica na Paraíba. O governo do Estado já sabia dessa situação, foi alertado pelos órgãos, mas não ouviu o clamor do homem do campo e hoje estamos nessa situação, lamentou Radical.

Relacionamento com o servidor público – Nossa prática militante será por meio de uma mesa permanente de negociação e não de enrolação como vem sendo a pratica do Governo. Vamos colocar as contas do Estado como estar realmente, para que a gente possa de forma transparente estabelecer uma real convivência, uma convivência amena com as entidades. É um governo que retirou gratificações, retirou os direitos, congelou a progressão do magistério. São episódios que fazem com que as categorias na sua base fiquem receosas de que seus direitos fiquem ainda mais fragilizados, enfatizou.

Efetivação do Passe livre – Defendemos o passe livre não só para os estudantes da rede estadual e sim para todos os estudantes e desempregados. Entendemos que as pessoas se educam também por meio do cinema, teatro, artes. É imprescindível a criação da tarifa social e estatização do sistema de transporte. Para a questão da Escola em tempo integral, é preciso criar a uma escola com modelo diferente do que se tem e dar toda a infraestrutura necessária para a vivência dos alunos na escola.

Luta pela moradia – Implantação imediata de um plano emergencial de obras públicas. Achamos que o MCMV é um plano que beneficia muito mais as empreiteiras do que o trabalhador.

Internautas

Cultura – Nosso objetivo é criar ilhas culturais em todo Estado. Para que o artista possa expor o seu trabalho e surgir no cenário artístico da Paraíba. O Governo desprezou o fomento a cultura quando preferiu colocar outdoors de obras que nem existiu, gastou milhões, ao invés de investir verdadeiramente na cultura do Estado.

PSTU pouco difundido no interior do Estado – É pela precária condição financeira. Fazemos campanha com a contribuição dos trabalhadores que acreditam no nosso projeto e é muito difícil, é uma campanha muito modesta, feita com poucos recursos e por isso há uma escassa difusão de nossos projetos, explicou.

(WSCOM)

Notícias relacionadas