menu

Brasil

02/06/2014


Aos pés do Padre Cícero, Campos busca por espaço no Ceará

CEARÁ

Com a afirmação de que “o Brasil parou de melhorar e começou a piorar” no governo da presidente Dilma Rousseff (PT), o candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, cumpriu agenda neste fim de semana no Cariri, no sul do Ceará. A programação incluiu títulos de cidadania, visita a familiares, ida ao horto do Padre Cícero, participação na festa do Pau da Bandeira, em Barbalha, além da inauguração da sede municipal do PSB no Crato.

O ex-governador de Pernambuco fez a primeira incursão em busca de espaço no Ceará, onde seu partido ficou enfraquecido e sofreu o maior baque político do País na última temporada de troca-troca de legenda, com a saída do grupo do governador Cid Gomes, hoje no Pros.

Campos criticou a presidente Dilma Rousseff (PT) e disse que os nordestinos ajudaram a elegê-la, “mas ela não olhou pata nós como nós olhamos para ela”. E completou: “O povo que bota é o mesmo povo que tira”. O mandato de Dilma, disse Campos, ficará marcado como “os quatro anos de menor crescimento da República desde o marechal Deodoro”.

Sem citar a presidente ou o PT, Campos reclamou do “terrorismo desesperado para se manter no poder” dos que espalham que o Bolsa Família será extinto se a oposição vencer. “No nosso governo, o Bolsa Família será ampliado”.


Origens

Eduardo começou a programação caririense, no sábado, visitando parentes em Araripe, onde nasceu seu avô Miguel Arraes, duas vezes governador de Pernambuco. Ele destacou os laços com a terra em todos os discursos. “Já me sinto filho do Cariri. Aqui estão minhas raízes”, disse ao receber o título de cidadão de Barbalha, na Câmara do Município, junto com a deputada Fernanda Pessoa (PR).

Também na noite de sábado, ele recebeu o título de cidadão de Juazeiro do Norte, juntamente com o senador Eunício Oliveira (PMDB).

Na manhã de domingo, em visita à estátua do Padre Cícero, em Juazeiro do Norte, Campos foi apresentado no microfone pelo padre Ocenir como “ex-governador de Pernambuco e, se Deus quiser, futuro presidente do Brasil”. No fim da tarde, o pré-candidato foi à abertura da festa de Santo Antônio, em Barbalha. Passou pelo meio da multidão, mas ficou pouco tempo.

Campos foi acompanhado pela pré-candidata do PSB a governadora, Nicolle Barbosa.

 

Bastidores

Eunício Oliveira e Eduardo Campos estavam de pé lado a lado, destacados dos outros políticos no palco, para receber a cidadania de Juazeiro do Norte. Lá pelas tantas uma mulher grita da plateia: “Ô governador lindo!”

Campos, ex-governador de Pernambuco, sorriu e fez gesto de positivo. Minutos depois a mulher gritou de novo, mas destacando o real destinatário: “Eunício governador lindo!”

Durante deslocamento da comitiva, Eduardo desceu do carro para falar com juazeirenses na praça Padre Cícero, acompanhado do ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo (PSB), pré-candidato a deputado estadual.

Ao cumprimentar um morador, Macedo e Campos ouviram na lata: “Em você (Macedo) eu voto, nele (Campos) não”. Campos sorriu amarelo e seguiu em frente.

O morador, o contabilista José Pinheiro, 60, explicou ao O POVO: “Antes do Lula eu não andava de avião. Hoje vou pra todo canto de avião”.

(O Povo Online)

Notícias relacionadas