menu

Política

17/11/2015


Artigo: “As mentiras que contaram para justificar o fiasco” do pró-impeachment

A manifestação pró-impeachment convocada para o último domingo em Brasília foi um retumbante fracasso. Reuniu cerca de duas mil pessoas quando os organizadores esperavam as multidões de março e agosto. Para justificar o fiasco, semearam algumas mentiras toscas internet afora, identificadas e desmontadas pelo deputado petista Paulo Pimenta.

A primeira grande mentira foi a postagem de uma fotografia de ônibus parados numa rodovia com a notícia de que foram barrados pela Polícia Rodoviária, a mando do governo, para que não chegassem a Brasilia com os manifestantes que transportavam. “Mas a foto utilizada é a mesma que foi publicada pelo jornal O Globo, numa matéria publicada em 2005 sobre a fiscalização da Polícia Rodoviária Federal a ônibus e vans paradas na região de Angra dos Reis, estado do Rio de Janeiro”.

Embarcando na mentira, o deputado Fernando Francischini (SD-PR) pagou mico. Anunciou pelo Twitter que iria requerer informações sobre o bloqueio irregular dos ônibus.

Uma outra mentira também teve pernas curtas. Uma postagem nas redes sociais dizendo que o MST estava fazendo bloqueios contra os manifestantes. A foto é mesmo de militantes do movimento com suas camisetas vermelhas bem identificadas. Mas esta fotografia, Pimenta pesquisou e descobriu, foi publicada pelo jornal Tribuna do Norte sobre uma manifestação do MST ocorrida em 2014.

Outra postagem identificada pelo deputado petista dizia que mais de 600 ônibus e cerca de um milhão de pessoas não puderam chegar a Brasília para o ato de domingo porque o PT deixou a cidade com as entrada sitiadas. Chegaram a divulgar uma foto mostrando milhares de pessoas na frente do Congresso Nacional, e não a verdadeira, em que aparece o pequeno grupo de manifestantes. A foto divulgada em que aparece uma multidão no gramado é de um outro domingo na capital federal, em que houve uma partida de vôlei de praia na Esplanada. A arena montada para o evento aparece na fotografia. No último domingo não havia arena no local nem jogo programado.

“Então vai ser assim. Eles mentem, a gente desmente e apresenta a verdade. Não houve nenhum grande ato pelo impeachment mas uma reunião grotesca, de gente de extrema direita. Não haverá golpe. A democracia vai prevalecer”, diz Paulo Pimenta.

Os partidos favoráveis ao impeachment trataram nesta segunda-feira de desvincularem-se da fracassada manifestação.

Notícias relacionadas