menu

Alagoas

21/08/2019


Auditores-fiscais fazem ato em Maceió contra interferência na Receita

Mobilização questiona insegurança jurídica motivada por interesses políticos.

Auditores-fiscais vinculados à Secretaria da Receita Federal em Alagoas promoveram, na manhã desta quarta-feira (21), um ato para protestar contra o que chamam de interferências políticas nas investigações da instituição.

O protesto, que aconteceu na frente da sede da Receita, no bairro de Jaraguá, em Maceió, não interferiu no expediente da Delegacia da Receita Federal no estado, que manteve o funcionamento normal.

“A mobilização denominada de Dia Nacional de Luto foi motivada após os auditores-fiscais serem impedidos de prosseguirem com fiscalizações que envolviam o nome de 133 agentes públicos e pessoas vinculadas ao alto escalão do governo federal e judiciário. Situação que ainda motivou a punição de dois servidores que estavam à frente do trabalho”, explicou o presidente do Sindfisco Nacional em Alagoas, Marcelo Belchior.

A interferência citada pelos auditores foi a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu uma apuração da Receita por suspeita de quebra de sigilo de ministros do Supremo.

De acordo com auditores-fiscais, o objetivo do ato é chamar a atenção da população para os ataques promovidos contra as ações de combate à corrupção desenvolvidas pela Receita Federal de forma legal.

“O que existe é uma insegurança jurídica que impede investigações. A lei é para todos e não pode distinguir ou impedir investigação porque alguém assume determinada função ou cargo”, completou Belchior.

Na fiscalização, que chegou aos dados suspeitos de 133 agentes públicos e pessoas vinculadas ao governo federal e judiciário, foram verificadas informações de transações fiscais de 800 mil pessoas.

Durante o ato os manifestantes usaram roupas pretas e um cartaz com a inscrição “ninguém está acima da lei”.


Por Redação com G1/AL

Notícias relacionadas