menu

Brasil

13/11/2013


Bahia lidera o setor eólico no País

ENERGIA

 

Com R$ 15 bilhões de investimentos assegurados, a Bahia ultrapassou Ceará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul e assumiu a liderança no setor eólico no país. De acordo com o secretário estadual da Indústria, Comércio e Mineração, James Correa, além dos R$ 12 bilhões de 87 projetos contabilizados pelo Atlas Eólico – a ser lançado hoje – a Bahia receberá ainda R$ 3 bilhões da Renova Energia, via Mercado Livre de Energia. Somente este ano, dos 66 projetos contratados em leilões da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), do Governo Federal, o Estado vendeu 28, viabilizando um aporte de mais R$ 2 bi.

Correa destaca que a liderança baiana foi viabilizada num intervalo de quatro anos, partindo do zero, enquanto os estados concorrentes já haviam iniciado projetos. O gestor atribui o resultado à aposta do governador Jaques Wagner no setor e a estratégia de atrair grandes grupos econômicos, capazes de gerar outros projetos. “O primeiro empreendimento foi conseguido pelo governador, em uma viagem à França”, lembrou.

O polo baiano atrai também fabricantes de torres, geradores e pás para usinas eólicas. Entre os principais empreendimentos, em julho de 2011, uma unidade da Gamesa (produção de turbinas eólicas) foi inaugurada no Polo Industrial de Camaçari, com investimento de R$ 100 milhões, na primeira etapa essa unidade produzirá nacelles com capacidade para 300MW/ano. Líder mundial, a Tecsis (pás e geradores) está construindo uma planta, também em Camaçari. O investimento previsto é de R$ 200 milhões, com geraçao de 3,5 mil empregos diretos em sua planta industrial que está sendo construída em Camaçari.

Há mais quatro projetos em negociação. Segundo o secretário James Correa, a energia eólica requer grandes investimentos porque a maturação do negócio é mais lenta, requerendo estudos de dimensionamento e viabilização de área. “O governo do estado deu as condições para que os negócios acontecessem”. Segundo o secretário, se todo o potencial de geração identificado no Atlas Eólico do Estado da Bahia fosse explorado, daria para abastecer todo o país por uma vez e meia.

O mapeamento baiano será lançado hoje como ponto alto da abertura do Forum Nacional Eólico, a partir das 14h, no Gran Hotel Stella Maris. O governador Jaques Wagner deve participar do evento.Também devem estar presentes a presidente executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Élbia Mello, do coordenador da Campanha de Energias Renováveis do Greenpeace Brasil, Ricardo Baitelo, além de representantes da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Operador Nacional do Sistema (ONS), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Fruto de um investimento de R$ 3 milhões, o atlas foi formulado com o objetivo de atrair novos investidores.
 

iG Bahia

Notícias relacionadas