menu

Brasil

27/09/2013


Bancários em greve vão para as ruas e pioram ainda mais o tráfego de Salvador

BAHIA

Cerca de 200 pessoas participaram, nessa quarta-feira (25/9), de uma passeata promovida pelo Sindicato dos Bancários da Bahia, no Centro de Salvador. Com faixas e cartazes, além de carro de som e banda de sopro e percussão, os manifestantes saíram da frente da sede do sindicato, nas Mercês, e seguiram pela Avenida Sete de Setembro protestando por melhores condições de trabalho. A categoria está em greve nacional há uma semana.

De acordo com o presidente do sindicato, Euclides Fagundes, nessa quarta-feira (25/9) também aconteceram passeatas em outras capitais do Brasil. Segundo ele, as manifestações surgem pela falta de propostas por parte da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que se recusa a atender às reivindicações dos trabalhadores. “Desde o primeiro dia de greve estamos abertos à negociação, mas a Fenaban nunca nos procurou para o diálogo”, salienta.

Uma das principais reivindicações da categoria é o reajuste salarial de 11,93%. “Eles [a Fenaban] continuam com a proposta de 6,1%, que é menor que a inflação do primeiro semestre. Isso é uma provocação”, afirma Fagundes. Os bancários também argumentam que os bancos obtiveram lucro líquido de quase R$ 30 bilhões na primeira metade deste ano, o que, segundo eles, possibilitaria atender ao pedido de aumento de salário.

Euclides Fagundes também comentou sobre as reclamações, registradas em matéria publicada nessa quarta-feira (25/9) pela Tribuna da Bahia, em relação à dificuldade para encontrar alguma agência funcionando, já que a lei prevê o funcionamento de pelo menos 30%. “Isso vale para serviços essenciais e, neste caso, o essencial é a compensação bancária. E ela vem acontecendo normalmente”, rebate. Mas ele reconhece a existência de situações inconvenientes. “Sabemos que toda greve acarreta problemas para a população. É algo natural de toda paralisação”, completa.

Além da questão salarial, os bancários pedem piso de R$ 2.860,21, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de três salários mais uma parcela fixa de R$ 5.553,15, combate à terceirização prevista no Projeto de Lei 4334/2004, respeito à Convenção 158 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que proíbe a dispensa do trabalhador sem motivação. De acordo com as lideranças da categoria, 791 agências permanecem fechadas na Bahia, sendo 285 só em Salvador. O sindicato ainda informa que, enquanto a Fenaban não se dispuser ao diálogo, não há previsão para o fim da greve.

Força-tarefa em ação na BA-093

Apesar de o Protocolo Operacional Padrão Integrado não ter sido utilizado durante a passeata dos bancários, que deixou lento o trânsito da Avenida Sete de Setembro, a nova medida de prevenção e gerenciamento de crises foi empregada durante uma manifestação no Km 4 da BA-093, na manhã dessa quarta-feira (25/9).

Foi a primeira manifestação em que foram usadas as diretrizes do documento lançado pelo Ministério Público do Estado da Bahia, na última terça-feira. Criado para reduzir e amenizar os impactos ocasionados pela obstrução de rodovias e vias de acesso durante protestos, o Popi foi utilizado pela força tarefa para dispersar cerca de 50 pessoas que obstruíram o fluxo na estrada que liga Simões Filho a Entre Rios.

iG Bahia

Notícias relacionadas