15/07/2017

Dilma: “eles querem impedir que Lula seja elegível”

Dilma: “eles querem impedir que Lula seja elegível”

A presidente legítima e deposta pelo golpe, Dilma Rousseff, comentou nesta sexta-feira 14, em entrevista à Associated Press, a condenação do juiz Sergio Moro contra o ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O petista recebeu uma sentença de 9 anos e 6 meses de prisão.

Dilma destacou na entrevista que nenhum candidato aliado a Michel Temer tem votos para bater o ex-presidente Lula nas eleições. "As eleições de 2018 são um enigma. Eles não têm um candidato para competir contra Lula", disse.

"Você não pode saber qual será o resultado, mas eles sabem que as pessoas perceberam que tinham ganhos significativos quando ele estava no cargo. Eles querem impedir que Lula seja elegível", acrescentou.

Para ela, a sentença de Moro contra seu antecessor proferida nesta semana é um movimento político com o intuito de mantê-lo fora das eleições presidenciais do próximo ano. Mas ressaltou: "Esta sentença não tira o ex-presidente Lula da disputa".

"Eles não devem pensar que tirar Lula das eleições trará estabilidade para o Brasil. Não traria", previu Dilma.

"Como eles não têm nenhum candidato para manter as medidas impopulares e a grande presença na cena é Lula, eles usam a tática do lawfare. Isso significa não ter em conta a sua defesa e nem mesmo produzir provas contra ele", declarou a presidente deposta.

Como vem fazendo em diversos discursos e manifestações recentes nas redes sociais, Dilma voltou a defender a eleição direta como solução da crise brasileira.
"Substituir este governo por meio de outro pequeno golpe de Estado, que também esteja envolvido em alegações de corrupção, e que também nos levará ao mesmo processo, não resolve o impasse do país", garantiu. "Uma eleição direta traria legitimidade", afirmou.

Brasil 247

comentários