menu

Cultura

19/10/2017


Brasileiro ganha concurso internacional de fotografia sobre natureza

O fotógrafo brasiliense Marcio Cabral foi um dos vencedores da edição deste ano do “Wildlife Photographer of the Year” – um dos principais concursos internacionais de fotografia de natureza – com a foto de um tamanduá-bandeira devorando cupins bioluminescentes durante a noite no Parque Nacional das Emas (GO). O anúncio ocorreu na noite desta terça-feira (18), no Museu de História Natural de Londres, organizador da competição.

O registro foi batizado de “The Night Raider” (imagem ao lado). A categoria em que ele venceu foi “Animais em seus ambientes”.

De acordo com a descrição da imagem divulgada pelo site do concurso, Cabral passou três anos visitando o parque à espera das condições adequadas para fazer a foto. Depois de dias de chuva, um tamanduá atacou o cupinzeiro por tempo suficiente para que o fotógrafo fizesse uma única imagem de longa exposição.

Cabral, que é formado em geografia, começou a fotografar profissionalmente há 20 anos. O trabalho dele já foi publicado em várias revistas de turismo e livros. Ele também realiza workshops e organiza expedições fotográficas no Brasil e em países vizinhos

No ano passado, uma foto do geógrafo foi eleita pelo Guinness World Record como a maior foto panorâmica subaquática do mundo. O registro, no rio Sucuri, em Bonito (MS), é de fevereiro de 2015 e tem mais de 220,5 megapixels, segundo o site ofocial do Guiness World Record.

“Gosto mais de natureza, de paisagens, imagens panorâmicas, em 360°. Moro em Brasília, então costumo fotografar a Chapada dos Veadeiros. Em Bonito, já ganhei vários concursos também. O pessoal de fora está gostando muito de lá [paisagem de Bonito] porque é diferente”, disse na ocasião.

Fotografia de Marcio Cabral no rio Sucuri em Bonito (MS) entrou para Guiness World Records (Foto: Marcio Cabral/ Arquivo Pessoal)

O concurso

Ao todo, 15 categorias integram o “Wildlife Photographer of the Year”. Neste ano, houve cerca de 50 mil inscrições de fotógrafos profissionais e amadores de 92 países. Os vencedores foram selecionados com base em critérios como criatividade, originalidade e excelência técnica.

O grande vencedor do concurso foi o sul-africano Bremt Stirtom, que fotografou um rinoceronte negro morto com o chifre arrancado. A fotografia foi feita na reserva florestal Hluhluwe Imfolozi, a mais antiga do país. O animal foi morto por caçadores com armas com silenciadores durante a noite. O registro faz parte de uma investigação sobre o comércio ilegal de chifres de rinocerontes.

G1

Notícias relacionadas