menu

Bahia

18/06/2015


Buracos na pista atormentam motoristas na capital baiana

As chuvas fortes deram uma trégua em Salvador, mas deixaram como saldo um grande estrago no asfalto. O problema é geral na cidade, e entre os locais mais prejudicados estão São Cristóvão, avenida Aliomar Baleeiro (Estrada Velha do Aeroporto) e Estrada Velha de Ipitanga (na Brasilgás). Quem transita nas pistas reclama sobretudo dos danos causados aos carros, da lentidão no trânsito, do risco de acidentes e até do receio de assalto. Há lugares em que, frequentemente, motoristas são obrigados a reduzir muito a velocidade.

A Operação Tapa-Buracos, da prefeitura, está nas ruas tentando minimizar os estragos causados pelo longo período de chuva, que dificulta a manutenção asfáltica. 

 

Prejuízo

Trocar um pneu furado é o menor dos inconvenientes para o motorista desavisado que cai numa dessas "armadilhas". Ruim mesmo é quando a deficiência no asfalto passa a doer no bolso do contribuinte por conta de pneus furados, jantes empenadas e avarias no sistema de suspensão.

O industriário Djalma Bispo, 57 anos, não conseguiu reduzir a velocidade a tempo de evitar um buraco na pista marginal à BR-324, num trecho próximo à Brasilgás. Resultado: dois pneus furados, uma jante amassada e um gasto de cerca de R$ 50 na borracharia.
"Geralmente, não uso meu próprio veículo para trabalhar, a empresa disponibiliza o transporte. Mas no dia do ocorrido precisei ir cedo a uma consulta médica e acabei no prejuízo. A gente paga imposto para quê?", indagou inconformado.

Na Estrada Velha de Ipitanga (Brasilgás), o problema atormenta os condutores em um dos trechos mais movimentados da capital baiana, sobretudo nos horários de pico. "Isso aqui é um atraso de vida!", bradou o rodoviário Wellington Santos, 36 anos, ao ver o carro do jornal A TARDE.

Na rua Lauro de Freitas, uma das principais do bairro de São Cristóvão, a representante de vendas Marisa Oliveira, 27, além de reclamar das condições da via, diz sentir medo quando volta do trabalho à noite.

"A velocidade aqui é de 5 km/h, na primeira marcha, quase parando, porque os buracos são enormes", afirma, completando: "À noite, se um criminoso quiser assaltar, vai ter facilidade. Ainda mais quando vir que quem está ao volante é uma mulher sozinha".

O mototaxista Anderson Lima, 24 anos, alega já ter caído do veículo duas vezes, por conta da buraqueira na via. "Nas duas situações, fui desviar de um buraco e caí no outro que não vi porque estava cheio de água. Por sorte, não ocorreu nada grave", contou revoltado.

Dona de uma lanchonete no mesmo bairro, a comerciante Nara Correia, de 47 anos, afirma que os buracos na via também provocam inconvenientes aos pedestres. "Já tem quase um mês essa situação. Já vi muita gente sendo molhada por essa água suja quando os carros passam", relata.

 

Borracheiro lucra

Satisfeito mesmo quem está é o dono de uma pequena borracharia sem nome, localizada na esquina da rua Somália com a avenida Cardeal Avelar Brandão Vilela. O borracheiro Raimundo Gonçalves, 62 anos de idade e no ofício há quase quatro décadas, comemora um aumento de cerca de 30% na clientela durante o período de chuvas frequentes.

O trabalhador informa que durante o período de chuvas a maioria dos clientes que procuram o serviço é de vítimas dos buracos.

 

Equipe de 700 homens

Marcílio de Souza Bastos, titular da Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman), disse que a prefeitura está trabalhando com o objetivo de, em cerca de 90 dias, solucionar este grave problema nas ruas e avenidas da cidade. "Nos últimos meses passamos por constantes chuvas que causaram esses transtornos. Temos em torno de 700 homens trabalhando para solucionar esse problema", conta o secretário municipal.

Ainda segundo Maurício, existem 40 equipes atuando na Operação Tapa-Buracos. Locais de tráfego intenso, como as avenidas Bonocô, Barros Reis, Vasco da Gama e Suburbana, são priorizados. Mas outras ações dentro dos bairros também estão sendo executadas, disse Bastos.

 

BR-324

Por meio da assessoria de comunicação, a ViaBahia informou ser responsável pelo trecho danificado na Brasilgás, que estaria dentro de um projeto de manutenção e conservação da via. A concessionária, no entanto, não informou prazo para a realização do serviço.

 

A Tarde
Por Juracy dos Anjos

Notícias relacionadas