menu

Brasil

05/02/2014


Calor nas alturas livra advogados do terno e gravata nos tribunais

Comportamento

Advogados pediram e a corte atendeu. Devido ao forte calor das últimas semanas, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) tornou opcional o uso de terno e gravata nas dependências de seus fóruns e prédios. A decisão foi comunicada no Diário da Justiça Eletrônico, nesta terça-feira (4).

Há duas semanas, advogados fluminenses também foram dispensados do uso obrigatório dos trajes formais no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), pelo mesmo motivo. A Justiça estadual e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Espírito Santo também aderiram à causa neste verão.

Os profissionais que frequentam os tribunais deverão, contudo, vestir calça social e camisa "devidamente fechada". Já as mulheres precisarão usar "trajes adequados e compatíveis com o decoro judicial", destacou em comunicado o presidente do TJ-SP, José Renado Nalini.

Devido ao incômodo causado pelo uso de calças compridas nas empresas, os publicitários Ricardo Rulière, Guilherme Anchieta e Vitor Damasceno, do Rio de Janeiro, criaram o movimento "Bermuda Sim", para incentivar o uso de peças mais curtas no ambiente de trabalho.

Os autores do movimento enviaram emails anônimos para as corporações pedindo a liberação da bermuda durante o verão. O objetivo, segundo os publiciários, é promover uma mudança cultural nas empresas.

Em São Paulo e no Rio de Janeiro, a liberação nos tribunais e fóruns ficará em vigor até o dia 21 de março. O mês de janeiro foi o mais quente dos últimos 70 anos na capital paulista, com média de temperatura de 31,9º. No Rio, as temperaturas passaram facilmente dos 40º, com sensação térmica superior a 50º.

A previsão é de que as temperaturas permaneçam nas alturas por pelo menos mais duas semanas em boa parte do Brasil, apesar de haver mais possibilidade de chuvas. O calor está mais forte que o comum, nesta época do ano, devido a uma massa de ar seco que inibe a formação de nuvens.

iG

Notícias relacionadas