menu

Bahia

05/05/2015


Câmara de Salvador dá verba para cargo sem ocupante

A Câmara de Salvador destinou para um cargo sem ocupante uma verba voltada para a contratação de assessores, distribuída entre os gabinetes dos vereadores com cargos de liderança ou integrantes da Mesa Diretora da Casa.


Em decreto republicado no Diário Oficial do Legislativo municipal, ficam atribuídos aos segundos vice-líderes de governo e oposição 25 pontos por mês para o pagamento de assessores.


No sistema adotado pela Câmara, cada ponto equivale a R$ 268. No total, cada 2º vice-líder terá, portanto, à sua disposição R$ 6,7 mil mensais.
O líder do governo, vereador Joceval Rodrigues (PPS), confirmou que o 1º vice líder da sua bancada é o democrata Léo Prates, e o 2º é Henrique Carballal (sem partido), que passou a integrar a base do prefeito ACM Neto na Câmara após deixar a bancada oposicionista.


Vereadores da oposição ouvidos pela reportagem, porém, disseram não haver um 2º vice-líder no bloco. "Não existe o 2º vice-líder da oposição. Caso haja alguma necessidade, poderá haver. Mas, até agora, não houve nenhuma discussão sobre isso", disse o vereador Everaldo Augusto (PCdoB), vice-líder da oposição.
Os oposicionistas Gilmar Santiago (PT) – ex-líder da oposição – e Aladilce Souza (PCdoB) confirmaram que não foi instituído um 2º vice-líder para o grupo.
O líder da oposição, Suíca (PT), não atendeu às ligações. Já o presidente da Casa, Paulo Câmara (PSDB), não retornou aos telefonemas.


Decreto republicado
No decreto republicado no último dia 30 de abril, além dos 25 pontos destinados aos segundos vice-líderes de governo e oposição, foram acrescidos mais cinco pontos aos vice-líderes de governo e oposição.


Essas mudanças, que custarão este ano R$ 160,8 mil ao Orçamento da Câmara, não estavam no decreto original, publicado no final de fevereiro, logo após o Carnaval. Segundo o Diário Oficial, o decreto foi publicado novamente "por ter havido incorreção".


O decreto reafirma o acréscimo, a partir de março de 2015, de 10 pontos aos membros da Mesa Diretora, vice-presidentes de comissões e vice-líderes partidários, e de 5 pontos aos presidentes de comissões, líderes partidários e líderes de oposição e governo. No total, aumentou em pelo menos R$ 1,46 milhão a verba destinada aos vereadores.

 

A Tarde

Notícias relacionadas