menu

Sergipe

19/01/2016


Candidatos poderão gastar até R$ 2,8 milhões em Aracaju

Os candidatos a prefeito de Aracaju poderão gastar até R$ 2,8 milhões durante a campanha eleitoral. Já aqueles que forem postular uma das 24 vagas de vereador da capital terão como limite de despesas durante o período do pleito R$ 174,4 mil. Os valores, estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral, equivalem a 70% do maior gasto declarado para os cargos em 2012. Caso haja segundo turno, a lei prevê que haverá um acréscimo de 30% a partir do valor definido para o primeiro turno.


Além da capital, em apenas outras 18 cidades sergipanas os candidatos a prefeito poderão gastar acima de R$ 100 mil. Mas, com exceção da capital, nenhum outro município terá teto de gastos que ultrapasse os R$ 300 mil. Japaratuba é o município, fora a capital, com maior limite – R$ 296 mil. Já Canindé de São Francisco aparece em seguida, com teto máximo de R$ 271 mil.


Em Rosário, os postulantes à prefeitura poderão gastar até R$ 202 mil. Campo do Brito completa o conjunto de cidades onde os candidatos ao Executivo municipal poderão chegar à marca das duas centenas de milhares de reais: lá será permitido gastar até exatos R$ 200 mil durante a campanha eleitoral deste ano.


Em Nossa Senhora do Socorro, o teto de gastos eleitorais é de R$ 191 mil. Já em Indiaroba o limite é de R$ 187 mil. Em São Cristóvão os candidatos a prefeito poderão gastar até R$ 182,8 mil. Em Laranjeiras, o limite é de quase R$ 180 mil, enquanto em Itabaiana a barreira é de R$ 173 mil. Com limites semelhantes aparecem ainda Capela (R$ 171 mil) e Nossa Senhora da Glória (R$ 170 mil).


Riachão do Dantas (R$ 163 mil), Estância (R$ 161 mil), Pirambu (R$ 154 mil), Carmópolis (R$ 151 mil), Tobias Barreto (R$ 121 mil), Ilha das Flores (R$ 120 mil) e Lagarto (R$ 116 mil) completam a lista dos municípios com os maiores tetos de gastos para candidatos a prefeito em Sergipe.


A lei eleitoral estabelece que nos municípios com até 10 mil eleitores o limite de gastos será de R$ 100 mil para prefeito e de R$ 10 mil para vereador. Neste caso, será considerado o número de eleitores existentes no município na data do fechamento do cadastro eleitoral.


Os limites previstos também serão aplicáveis aos municípios com mais de 10 mil eleitores sempre que o cálculo realizado do maior gasto declarado resultar em valor inferior ao patamar previsto para cada cargo. 

Jornal da Cidade

Notícias relacionadas