menu

Brasil

08/09/2014


Candidatos recrutam artistas para reforçar candidaturas

Eleições 2014

Rio – Na reta final da campanha, intelectuais e artistas são recrutados para reforçar as candidaturas dos presidenciáveis. Na segunda-feira, Dilma Rousseff (PT) virá ao Rio para se encontrar no Teatro Oi Casagrande, no Leblon, com o setor da cultura. Evento semelhante ocorreu em 2010, com celebridades como Chico Buarque. Neste ano, a assessoria do compositor informou que ele não divulgou voto publicamente.
Mas alguns famosos já se manifestaram a favor da presidenta, como o ator Henry Castelli, o cineasta Jorge Furtado e o ator José de Abreu, conhecido por ser ferrenho defensor do PT no Twitter.
No Facebook, o músico pernambucano Otto justificou o voto na petista. “Sabemos quanto esse país melhorou, quanto esse país avançou. O mundo está em crise, e o Brasil, firme!”, disse. Em outro texto, ele criticou Marina Silva (PSB) afirmando que não gosta da mistura entre política e religião e que considera a candidatura da ex-senadora “vazia”.

Aécio Neves (PSDB) também se articulou para mostrar o respaldo de celebridades. Ele participou no Rio de uma pelada organizada pelo ex-craque do Flamengo Zico, com a participação de famosos, como o ator Márcio Garcia e o cantor Fagner.Fora do campo, ele foi saudado pelos atores Stepan Nercessian, Milton Gonçalves e Jackson Antunes e pelo dançarino Carlinhos de Jesus.

Entre os apoiadores do tucano, o humorista Marcelo Madureira escreveu incisivamente a favor do candidato em seu blog, atacando as candidatas Dilma e Marina. Para o humorista, o governo do PT “utilizou-se do populismo, da demagogia e do clientelismo em níveis jamais vistos no Brasil". Aécio explorou também o apoio de famosos em seus programas eleitorais. Na TV, cantores de vários estilos gravaram o jingle do candidato. A lista inclui os sertanejos Wanessa e Zezé de Camargo e Chitãozinho e Xororó, além dos mineiros Beto Guedes e Fernando Brant e membros da Velha Guarda da Mangueira.

A campanha de Marina Silva (PSB) também articula ato com artistas no Rio, sem data marcada. Ente os que a apoiam na classe artística estão Lenine, Marcos Palmeira e Adriana Calcanhotto. O mais proeminente é o cantor e compositor Caetano Veloso, que votou em Lula em 2002 e “marinou” pela primeira vez em 2010.
No Facebook, Caetano escreveu que concorda com a postura de Marina Silva de reconhecer as conquistas tanto de Lula como de Fernando Henrique Cardoso. “Sou dos que sempre quiseram que o país aproveitasse o que essa sucessão de lutadores pela democracia nos legou”, afirmou o músico.

No Rio, famosos também aparecem

Nas eleições estaduais, os famosos também têm dado as caras em favor dos políticos. Na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, Jorge Ben Jor gravou o jingle do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). O cantor Naldo gravou depoimento para a campanha de Anthony Garotinho (PR). Ele tem sido usado como exemplo de pessoa ajudada pelo programa Jovens pela Paz, criado pelo ex-governador.

Na quinta-feira, o escritor Francisco Bosco, filho do compositor João Bosco, manifestou apoio a Lindberg Farias, do PT. “Lindberg é o único candidato em alguma medida comprometido com ideias progressistas e igualitárias com chances efetivas de ir para o segundo turno e vencer”, escreveu ele no Facebook.

Na eleição proporcional, os candidatos com mais trânsito com artistas são do Psol. Marcelo Freixo tem como cabos eleitorais Wagner Moura, Lenine e Arnaldo Antunes. Já Jean Wyllys agradeceu, esta semana, o apoio de Chico Buarque. 

 

(Agência O Dia/ iG)

Notícias relacionadas