menu

Brasil

19/03/2014


Cássio diz que quem decide eleição é o povo, não a máquina

Paraíba

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB) voltou a disparar indiretas contra o governador Ricardo Coutinho (PSB), nesta quarta-feira (19), durante o I Encontro Nacional dos Conselhos de Medicina, que ocorre no Hotel Tambaú, em João Pessoa (PB). Segundo Cássio, a ausência do Governo do Estado no evento aponta para a falta de diálogo que caracteriza a atual gestão.

"Infelizmente, o Governo do Estado não se fazer presente ou representar é no mínimo estranho, que termina apontando para esta dificuldade de diálogo, de relacionamento que tem caracterizado este último período do nosso Estado. Cabe ao governo trazer uma explicação do por que da ausência”, declarou. Cássio também falou sobre as consultas públicas que o PSDB irá realizar para definir se o partido terá ou não candidatura própria a governador nas eleições estaduais deste ano e disse que os encontros do partido fortalecem a democracia na Paraíba. Ele acrescentou que a tese de candidatura própria do PSDB é extremamente legitima.

“É extremamente legítima a tese de candidatura própria, os partidos existem para disputar as eleições, para tentar se apresentar como alternativas a sociedade. Na democracia, quando você tem um número maior de candidatos, você faculta um leque maior de escolha. Então, se o PSDB, por exemplo, decidir por uma candidatura própria será bom para a democracia paraibana, porque você terá mais uma opção de escolha para o eleitor”, ressaltou.

Cássio frisou que os políticos e partidos paraibanos precisam “se conscientizar de que quem decide as eleições é o povo e não a opressão e intimidação do dinheiro da máquina pública”.“Quem decide a eleição não são os partidos políticos, não são os políticos, quem decide a eleição é o povo, a sociedade, o cidadão, o eleitor. Muitos acham que a máquina pública oprimindo, cooptando, usando o dinheiro público para inibir pessoas, intimidá-las ganham a eleição, quem tentou fazer isto no passado não teve um bom resultado”, declarou.

“A sociedade esta cada vez mais livre e consciente, exige debate, exige o contraditório, exige respeito à diversidade de ideias, exige diálogo. Não faz muito tempo que o país foi às ruas exigindo mudanças da politica mais antiga, da política do eu quero, posso, mando, da vontade imperial de quem governa, que não se submete as discussões, não declina ao debate”, acrescentou.

O senador disse também que as consultas do PSDB vão oferecer uma contribuição ao debate político de alto nível na Paraíba. “Vamos oferecer um debate sereno, sem a arrogância de achar que fulano ou beltrano inventou a Paraíba, foi responsável por tudo que temos em séculos de existência no nosso Estado. Faremos, como partido político que somos, uma contribuição para respeitar a soberania do voto popular. Repito não é a máquina pública, não são os políticos, não são os partidos, que decide a eleição. Não são os partidos que decidem a eleição, quem decide a eleição é voto secreto, livre soberano do povo do nosso Estado”, ratificou.

WSCOM Online

Notícias relacionadas