menu

Brasil

20/02/2014


Ceará é o quarto estado do Brasil com maior investimento público

CEARÁ

O Ceará é o quarto Estado do Brasil no ranking de investimentos públicos, com um montante de R$ 13,083 bilhões, atrás somente de São Paulo, com R$ 58,263 bilhões; Minas gerais, com R$ 28,097 bilhões, e Rio de Janeiro, com R$ 23,650 bilhões, no período 2007/2012. Proporcionalmente, o investimento acumulado no período (receita corrente líquida – RCL) coloca o Ceará na segunda posição dentre os 26 estados brasileiros e mais o Distrito Federal, com índice de 0,21%, superado apenas pelo Acre, com 0,29%.

 E quanto maior for essa relação, maior será a capacidade que o Estado possui de investir proporcional ao seu nível de recursos próprios representados pela sua receita corrente líquida. O Ceará apresenta uma relação bem maior do que o Nordeste, que tem 0,12%, bem como em relação as demais regiões. Aliás, é maior que a verificado no Brasil, que ficou em 0,10%. Grande parte dos investimentos apresentados pelo Ceará somente foi possível pela expansão verificada na arrecadação do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), que foi de 7,12% (média anual) no período 2007/2012, resultado superior aos anos de 2002/2006, que ficou em 3,32%.

Desempenho do Investimento Público do Ceará, 2007 – 2012, uma análise comparativa entre os Estados. O trabalho tem como base os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) – valores a preços de 2012. O resultado apresentado pelo Ceará no ranking de investimentos públicos, bem como no acumulado/RCL, é, de acordo com o diretor Geral do Ipece, professor Flávio Ataliba, fruto de várias ações do Governo do Estado, principalmente no âmbito da organização e planejamento da gestão pública.

“O acompanhamento realizado por intermédio do MAPP (Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários), ação inovadora implementada pelo governo de Cid Gomes, foi e é de fundamental importância para a concretização do planejamento realizado e deveria ser incorporada como uma política de estado para os próximos governos” – frisa. Outro ponto importante, observado pelo Diretor Geral do IPECE, é que “a expansão dos investimentos realizados (2007/2012), vai produzir num futuro próximo, com a maturação dos projetos, o aumento da capacidade produtiva de nossa economia, condição essencial para que o Ceará continue, de forma sustentada, a aumentar sua participação no PIB nacional”.

Notícias relacionadas