menu

Ceará

01/06/2017


Ceará tem mais de 118 mil crianças e adolescentes fora da escola

O Ceará tem 118.485 crianças e adolescentes entre 4 a 17 anos fora da escola, segundo aponta Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015 divulgada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), nesta quinta-feira, 1. O número representa que 6% da população nesta faixa etária. No Brasil, 2.802.258 estão excluídos dos espaços escolares.

Conforme a pesquisa, a maior exclusão ocorre na faixa etária de 15 a 17 anos, em todo o Brasil, com 1,59 milhão (57%) de excluídos do espaço escolar. No Ceará, neste intervalo de idade, são 86.052 jovens fora da escola. Estado tem 14.409 excluídos de 4 e 5 anos; e 18.024 crianças e adolescentes entre 6 a 14 nesta condição.

O Sudeste e o Nordeste apresentam percentuais de exclusão um pouco menor do que as outras regiões, com 5,3% e 6,3% respectivamente, mas merecem atenção por seus números absolutos. Sendo as regiões mais populosas do País, são responsáveis por 1,7 milhão dos 2,8 milhões de meninos e meninas excluídos. O problema é mais grave no Norte, Centro-Oeste e Sul, onde 8,8%, 7,7% e 7,3% da população de 4 a 17 anos está fora da escola, respectivamente.

A exclusão escolar afeta principalmente meninos e meninas vindos das camadas mais vulneráveis da população, já privados de outros direitos constitucionais. Do total fora da escola, 53% vivem em domicílios com renda per capita de até 1/2 salário mínimo.

Há quase dez anos a Unicef alerta sobre o grande número de crianças e adolescentes fora da escola. Em 2005, 11% da população dessa faixa etária estava longe das salas de aula. De lá para cá, o percentual caiu para 6,5%, mas o desafio da universalização da educação básica ainda não está superado, segundo dados da entidade.

Busca Ativa Escolar

A Busca Ativa Escolar é uma plataforma gratuita para ajudar os municípios no enfrentamento da exclusão escolas. O objetivo é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que estão fora da escola ou em risco de evasão. A ferramenta foi criada a partir da parceria entre a Unicef, o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), Instituto Tim e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Notícias relacionadas