menu

Brasil

05/05/2014


Centro de Salvador recebe ação de desenvolvimento territorial

BAHIA

Desde 1982, o vendedor ambulante Marcos Cazuza comercializa guloseimas na Estação da Lapa, em Salvador. De olho na qualificação empresarial e do espaço em que atua, ele participou nessa terça-feira, 29, do segundo encontro do Projeto Território Empreendedor, realizado na sede do Sebrae Bahia. A iniciativa busca o desenvolvimento territorial da Avenida Sete de Setembro e seu entorno, com o intuito de transformar a região em um shopping a céu aberto. Tem como público-alvo moradores e empreendedores que atuam na região.


Para Cazuza, a qualificação promove uma nova visão nos empreendedores. “Isso favorece o nosso crescimento intelectual, estimulando o desenvolvimento do comércio e negócio, e aumentando a competitividade no mercado. É importante investir nessa parte da cidade, que precisa de estrutura para atrair os turistas e têm um grande fluxo diário de público”, afirmou Cazuza, que também é presidente da Associação dos Ambulantes de Salvador e Região Metropolitana (Asfaerp).

 

Na ocasião, a gestora do projeto no Sebrae Idimara Dantas detalhou algumas ações que a instituição vai promover, como a qualificação profissional dos ambulantes, as consultorias empresariais, a gestão visual das lojas e barracas, o estímulo à formalização dos negócios e a inserção da Avenida Sete de Setembro e entorno na área turística para a Copa do Mundo. “Vamos trabalhar o desenvolvimento territorial numa visão de sustentabilidade da cidade e competitividade dos negócios, buscando a harmonia social, econômica e cultural”, explicou.

 

De acordo com a secretária municipal de Ordem Pública, Rosemma Maluf, o projeto promoverá a requalificação urbana e o desenvolvimento socioeconômico do território, que contempla a Avenida Sete de Setembro, a partir das Mercês, Rua Carlos Gomes, Largo Dois de Julho até a Avenida Joana Angélica. Entre as propostas desenvolvidas pela Secretaria estão o ordenamento do comércio informal, requalificação da iluminação pública, e prevenção à violência e proteção do patrimônio público.

 

A ação é fruto de um trabalho do Sebrae, da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), mas já conta com um conjunto variado de parceiros, como associações de ambulantes, órgãos e instituições públicas e privadas, agentes financeiros e representantes da sociedade civil.

 

Três eixos

 

O projeto vai trabalhar com três eixos de ação: Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Acesso a Serviços Financeiros; Desenvolvimento Urbano; e Economia Criativa, Cultura e Turismo. As instâncias da cultura da paz e ordem pública vão perpassar todos esses eixos. Na próxima terça-feira, 6, os três grupos de trabalho se reúnem na sede da CDL para definir o plano de ação, que será apresentado na primeira quinzena de maio. 

Notícias relacionadas