menu

Brasil

21/10/2014


China e cenário eleitoral fazem Ibovespa desabar

O Ibovespa abriu em forte queda nesta terça-feira (21) após a divulgação de pesquisas Datafolha e Vox Populi mostrando a presidente Dilma Rousseff (PT) 4 pontos percentuais à frente do candidato Aécio Neves (PSDB). Às 10h50, o índice caía 3,76%, a 52.258 pontos, refletindo ainda o resultado do Vox Populi e da CNT/MDA, outras duas pesquisas que mostraram vantagem da petista. Dólar superava a marca dos R$ 2,50, subindo mais de 1%.

A menos de uma semana para as eleições, o Datafolha apresentou um quadro de virada de Dilma, que, em votos válidos, passou de 49% para 52%, enquanto Aécio caiu de 51% para 48% das intenções. Além disso, a rejeição do tucano pela primeira vez superou a da presidente, saltando de 38% para 42%, contra uma queda de 42% para 39% no caso de Dilma. A avaliação positiva do governo atual também melhorou, atingindo os 43%, maior nível desde as manifestações de junho do ano passado.

Pesquisa Vox Populi, contratada pela TV Record e também divulgada ontem, foi quase uma "repetição" do quadro visto pelo Datafolha, apresentando mesma vantagem da petista em relação ao tucano. CNT/MDA já tinha colocado Dilma à frente no começo do dia.

Na mínima do dia, o Ibovespa caiu 4,38%, batendo 51.922 pontos, o menor patamar desde 6 de junho deste ano, quando teve, na mínima, 51.561 pontos.

Destaques

As maiores quedas do dia ficam por conta das ações do chamado "kit eleições", composto por papéis de estatais e bancos. As ações da Petrobras (PETR3; PETR4) caíam mais de 7%, voltando ao nível do período pré-Copa, também caíam Eletrobras (ELET3; ELET6), Bradesco (BBDC3) e Itaú (ITUB4).

Outras ações que também ganharam com o "rali eleitoral" também têm dia de queda. BM&F Bovespa (BVMF3), Cosan (CSAN3) e GOL (GOLL4) caíam por volta de 5%. No caso da companhia aérea, a queda se dá por conta da alta do dólar, uma vez que os custos da empresa (principalmente em combustíveis) são cotados na moeda norte-americana.

O mercado mostra maior preferência pelo candidato Aécio Neves, já que Dilma não é bem vista devido à percepção de maior intervencionismo governamental e expectativa de um menor ajuste fiscal caso ela ganhe as eleições. Além disso, no caso da Petrobras, a perspectiva é de que haja um maior represamento dos preços dos combustíveis para controlar a inflação, o que já vem afetando negativamente o caixa da Petrobras.

Por outro lado, o melhor desempenho fica com os papéis Santander (SANB11), que são cotados a R$ 15,40 e apresentam alta de 2,80%.

 

247

Notícias relacionadas