menu

Bahia

30/04/2015


Chuva: auxílio-emergência é aprovado na Câmara para vítimas

A Câmara Municipal de Salvador, em votação unânime, aprovou o projeto de lei 109/15, que institui o auxílio-emergência de até três salários mínimos (R$ 2.364) para as famílias que perderam os imóveis em decorrência das chuvas ou outras calamidades. A previsão é que a prefeitura de Salvador dê início aos pagamentos na próxima semana.


A ajuda aprovada nesta quarta-feira, 29, valerá para alagamentos, desabamentos, deslizamentos de terra e incêndios. O benefício será concedido em apenas uma parcela e o valor será calculado segundo laudo realizado por equipes das secretarias municipais de Infraestrutura, Habitação e Defesa Civil e de Promoção Social e Combate à Pobreza.


Durante coletiva na manhã desta quarta, o prefeito ACM Neto (DEM) recomendou que as pessoas atingidas busquem a Codesal ou a Secretaria de Promoção Social, onde serão instalados 20 guichês para cadastrar as famílias que perderam os bens.

"É claro que não vou sair dando (o benefício) para qualquer situação. Vai ter que ser feita uma inspeção para comprovar. Nas áreas como San Martin, onde houve afetação maior, ninguém tem dúvida de que algumas pessoas perderam tudo", disse o prefeito.


O projeto de lei foi discutido na tarde de terça-feira, 28, pelo prefeito ACM Neto (DEM), pelo presidente da Câmara, Paulo Câmara (PSDB), pelo líder do governo, Joceval Rodrigues (PPS), e pelo líder da oposição, Luís Carlos Suíca (PT).


Também participaram da elaboração do projeto os vereadores Leo Prates (DEM), Gilmar Santiago (PT), Aladilce Souza (PCdoB), Sílvio Humberto (PSB), Hilton Coelho (PSOL) e Vânia Galvão (PT).


"Esse auxílio não resolverá todo o problema de quem perdeu tudo, mas ajuda de alguma forma", disse Joceval Rodrigues. O vereador Gilmar Santiago disse, por sua vez, que a aprovação do projeto foi apenas um passo do processo. "É preciso criar uma política efetiva para evitar novas tragédias na cidade", disse o petista.

Notícias relacionadas