menu

Brasil

26/02/2015


Chuvas de fevereiro são 30,2% menores que média do mês no Ceará

ceará

Fevereiro chega à última semana com volume de chuvas 30,2% menor que a média prevista para o período no Ceará. Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), a média no Estado é de 127 milímetros (mm), e, até a tarde de ontem, 88,6 mm foram contabilizados. “Houve uma variação rápida do volume para melhor, em um curto período de tempo, mas não sabemos se ela vai permanecer em termos oceânicos”, indica Raul Fritz, meteorologista da Funceme.

A Funceme indica que a Zona de Convergência Intertropical – principal causa das últimas precipitações no Estado – é a mais favorável às chuvas regulares no Ceará nesta quadra chuvosa. Da última terça-feira, 24, até as 7 horas de ontem, choveu 47,8 mm em Fortaleza. Levantamento indicando o volume de chuva contabilizado na manhã e tarde de ontem na Capital deve ser divulgado hoje.

Em 2015, a maior chuva registrada na Capital aconteceu no início de janeiro, entre os dias 3 e 4, e acumulou 132 mm. O episódio pode voltar a acontecer, principalmente, entre os meses de março e abril. “Até aquele momento, as chuvas que estavam acontecendo eram devido à influência de outro sistema (meteorológico), que era mais típico da pré-estação”, detalha Fritz.

Segundo o meteorologista, as precipitações “devem continuar pelas próximas 24 horas, facilitando chuvas, principalmente, na Zona Norte do Estado”. Ele reitera o prognóstico inicial para a quadra chuvosa: “Permanecem as condições que levam a uma tendência maior de chuvas abaixo da média”.

Ocorrências da chuva

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Fortaleza contabilizou 25 ocorrências, só na manhã de ontem, quando a chuva foi mais intensa na Capital. Do total, nove foram em bairros de abrangência da Secretaria Regional I. Alagamentos, riscos de desabamento e inundações foram as principais reclamações da população que chegaram ao órgão.
 

Uma laje chegou a cair na avenida Borges de Melo, próximo ao canteiro de obras do Ramal Parangaba-Mucuripe do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), e deixou três famílias desabrigadas. Elas foram realocadas em outras casas e receberam colchonetes, mantas e cestas básicas da Defesa Civil. A assessoria de comunicação informou que o órgão deve continuar a prestar assistência às famílias nos próximos dias.


Já na avenida Senador Fernandes Távora, moradores reclamaram de buracos no asfalto piorados pela chuva. “O medo é de acidente. Uma moto ou um carro podem cair num buraco assim”, diz o cabeleireiro Flávio Martins, 40.


Em Maracanaú, no quarto anel viário da BR-116, jorrou água da caixa de descarga de uma tubulação de 800 mm. O vazamento começou por volta das 7 horas, lembra Antônio Araújo, 45, que mora nas proximidades. “O jato d’água estava mais alto que um poste”, contou.


Em nota, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) não informou as causas do problema na tubulação, mas indicou que a resolução do vazamento só poderia ser feita se a chuva parasse. Na noite de ontem, O POVO não conseguiu confirmar se a situação tinha sido corrigida. Por causa do problema, pode haver baixa pressão de água em bairros como Cidade Nova, Passaré, Planalto Ayrton Senna, Pici e em parte do Conjunto José Walter.

 

Serviço

Defesa Civil

Para denunciar problemas causados pela chuva, entre em contato com a Defesa Civil.
Telefone: 3101 4582


Cagece

Informações, reclamações e sugestões

Telefone: 0800 275 0195
 

Saiba mais


Na última sexta-feira, 20, a Funceme divulgou que há maior probabilidade de chuvas abaixo da média até maio no Ceará.


Como O POVO mostrou na última terça-feira, 24, o volume de chuva ainda não repercute no acumulado nos 149 reservatórios monitorados no Estado. Ontem, eles tinham 19% da capacidade.


Ontem, choveu em 117 cidades do Ceará. A Funceme indicou os 10 maiores volumes:


Pacatuba – 146mm

Itaitinga – 142mm
Guaiúba – 119 mm

Horizonte – 116 mm
Trairi – 109 mm

Cascavel – 94 mm
Maracanaú – 89 mm

Maranguape – 71 mm
Aquiraz – 70 mm

Eusébio – 65 mm
 

Em fevereiro, o município com maior volume de chuva acumulado foi Pacatuba (288 mm). A Capital somou 134,4 mm – acumulado 23,9% menor que o normal para o período (176,8 mm). Os dados foram coletados pelo O POVO ontem.

(O Povo)

Notícias relacionadas